Embrião de cavalo pode custar até R$ 250 mil

Animais adultos já são muito valorizados, mas poucas pessoas sabem do mercado de embriões, que envolve muito dinheiro e é um comércio forte no Brasil

por Vinícius Andrade 13/05/2015 14:32

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

CORREÇÃO:

Preencha todos os campos.
Pixabay
Em média, o embrião de gado selecionado custa R$ 40 mil, mas, pode chegar a R$ 250 mil, dependendo da raça e qualidade dos pais (foto: Pixabay)
O que você faria com R$ 100 mil? Uma viagem pela Europa? Adquiria uma joia? Pode ter certeza que muitos produtores rurais preferem investir esse valor em um embrião de cavalo ou de boi. A busca por filhotes com material genético rigorosamente selecionado pode valer centenas de milhares de reais. O material bovino é vendido, em média, por R$ 40 mil, mas os valores podem chegar a R$ 250 mil, dependendo da raça do animal.

Os embriões de cavalos também movimentam altas cifras, principalmente quando se trata do mangalarga marchador, podendo bater na casa dos R$ 200 mil.Graças às pesquisas ligadas às melhorias dos processos de fertilização, o Brasil é destaque mundial no quesito qualidade genética. Segundo Múcio Túlio Alvim, diretor-presidente da Cenatte Embriões, de todos os embriões bovinos produzidos no mundo, em 2013, 75% eram de origem brasileira. A estimativa é que esse número tenha caído, atualmente, devido ao maior investimento de outros países nesse ramo.

De acordo com o médico-veterinário Lineu Brandão Júnior, a revenda de materiais genéticos aumenta a cada ano. O valor mais caro que ele afirma ter conhecimento é de um embrião de boi, da raça nelore, que foi vendido por R$ 250 mil. "O maior comércio, em Minas, acontece em Uberaba, na época das exposições. Nos leilões, existem vacas que são vendidas por até R$ 1,5 milhão", destaca o especialista. Já nos eventos que envolvem cavalos da raça mangalarga marchador, alguns animais são vendidos por até R$ 3 milhões.

Entenda a fertilização

A geração do embrião bovino acontece por meio da fertilização in vitro, como explica Lineu."Normalmente, os oócitos [células germinativas que dão origem aos óvulos] da vaca são aspirados utilizando um ultrassom e uma bomba de vácuo. Eles são levados para o laboratório e maturados para se transformar em óvulo. Estes, então, são fecundados com o sêmen do touro, e os embriões são cultivados em estufa por mais sete dias. Após esse período, eles são transferidos ou congelados", esclarece o médico veterinário.

O armazenamento dos embriões é feito com nitrogênio líquido à temperatura de  -196ºC, e podem ser guardados por tempo indeterminado. De acordo com Múcio Túlio, da Cenatte, as chances de um embrião vingar é de, aproximadamente, 45%. "Normalmente, vende-se uma prenhez já confirmada. O risco existe, mas os animais utilizados já foram provados, anteriormente, então, a chance de dar certo aumenta", confirma o empresário.

No cavalo, o processo é diferente. A fertilização acontece dentro da própria doadora. A égua é inseminada ou coberta com o garanhão e depois o embrião é retirado e congelado.

Últimas notícias

Comentários