Acidente de Luciano Huck e Angélica reacende a questão da segurança em aviões pequenos

Além do incidente com o casal de apresentadores globais, em maio foram registrados outros acontecimentos envolvendo aeronaves menores. Até que ponto elas são mais perigosas que os grandes aviões comerciais?

por Vinícius Andrade 26/05/2015 08:45

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

CORREÇÃO:

Preencha todos os campos.
Geisy Garnes e Tatiana Lemes/Midiamax/Reprodução
O modelo Embraer 820C em que estavam os apresentadores Luciano Huck e Angélica, além dos filhos e das babás, teria sofrido uma pane elétrica na bomba de combustível (foto: Geisy Garnes e Tatiana Lemes/Midiamax/Reprodução)
Os apresentadores Luciano Huck e Angélica viveram momentos de pânico no domingo, dia 24 de maio, quando o avião em que estavam com os filhos e as babás precisou fazer um pouso forçado numa fazenda que fica em Rochedo, cidade próxima a Campo Grande (MS). Felizmente, os passageiros não sofreram lesões graves. No entanto, o susto reascendeu o debate sobre a segurança das aeronaves de pequeno porte. Somente entre os dias 8 e 22 de maio, cinco casos de pousos de emergência foram noticiados na América Latina.

Em agosto de 2014, o então presidenciável Eduardo Campos também foi vítima de um acidente aéreo.  Em 2012, oito pessoas, entre elas o presidente da Vilma Alimentos, morreram na queda de um biomotor em Juiz de Fora, na Zona da Mata, em Minas Gerais.

Segundo Rogério Botelho Parra, coordenador do curso de engenharia aeronáutica da Fumec, a maioria dos acidentes é por falha humana, mas, cada caso deve ser analisado separadamente. No incidente envolvendo a família de Luciano Huck, o piloto Osmar Frattini informou que a aeronave modelo 820C sofreu uma falha na bomba de combustível.

Conforme Rogério, o avião é antigo, mas o motor é o mais indicado. "É o melhor motor aéreo que existe no mundo, mas depende da manutenção. Somente com uma investigação mais a fundo é possível afirmar o que houve de fato. Não é uma bomba elétrica que vai derrubar o avião", diz o especialista.

Segurança

O avião é considerado o segundo meio de transporte mais seguro do mundo, perdendo apenas para o elevador. A chance de morrer em um acidente aéreo é de apenas uma em 8 milhões, de acordo com uma pesquisa da editora Condé Nast, dos Estados Unidos. Para se ter uma ideia, ao andar de carro, a chance de perder a vida é de um em 18.800.

Para o professor Rogério Parra, os casos recentes de acidentes aéreos estão dentro de uma média "aceitável". "Os aviões estão cada vez mais seguros e continua sendo o meio de transporte mais confiável. Como existe muito avião novo, o conhecimento do pessoal a respeito da aviação mais moderna ainda precisa melhorar. Mas, a tendência é evoluir", destaca o engenheiro.

Últimas notícias

Comentários