Zezé Perrella denuncia suposta armação na CBF

O senador mineiro diz que manobra pode usar o regimento da confederação para que o presidente da Federação Catarinense assuma a presidência da CBF numa possível renúncia de Del Nero

10/06/2015 14:09

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

CORREÇÃO:

Preencha todos os campos.
Waldemir Barreto/Agência Senado/Divulgação
"Estão querendo mudar a regra com a bola rolando", diz o senador Zezé Perrella sobre esquema para troca de comando na CBF com possível renúncia de Del Nero (foto: Waldemir Barreto/Agência Senado/Divulgação)
Em pronunciamento no plenário do Senado, Zezé Perrella (PDT-MG) denunciou o que chamou de uma "manobra indecente" na Confederação Brasileira de Futebol (CBF). Segundo Perrella, uma assembleia-geral está sendo convocada para a próxima quinta-feira (11), com o objetivo de alterar o regimento interno para evitar que o presidente mais velho de federação assuma a presidência em caso de vacância.

Para o senador, a alteração visa tirar do presidente da Federação Catarinense de Futebol, Delfim Peixoto Filho, a possibilidade de assumir a presidência da CBF. Por conta das investigações de irregularidades na Fifa e no mundo do futebol, há rumores de que o presidente da CBF, Marco Polo Del Nero, poderia renunciar. Como mais velho, Delfim assumiria.

"Estão querendo mudar a regra com a bola rolando. Parece que Delfim não faz parte dessa panelinha que quer continuar roubando a CBF", afirma o senador mineiro.

Segundo Perrella, a renúncia de Del Nero já estaria sendo negociada. Assim, disse o senador, a ideia do atual presidente é colocar alguém de confiança no seu lugar – mesmo que para isso tenha que mudar o regimento às pressas. Perrella  disse ainda que o alegado motivo da assembleia, permitir apenas uma reeleição de presidente, seria apenas um pretexto, pois a mudança já foi determinada pela Fifa nas semana passada.

Ele explica que os presidentes dos clubes votam para escolher a composição da presidência da entidade. No entanto, nas assembleias-gerais só votam os presidentes das federações – o que, em tese, facilitaria a intenção da CBF.

CPI

Perrella também diz que vai lutar para que os presidentes das federações que compactuarem com a intenção do presidente da CBF venham à CPI explicar esse voto. A CPI da CBF aguarda a indicação dos membros para ser instalada. Na visão de Perrella, os dirigentes brasileiros deveriam aproveitar este momento de crise para modernizar o futebol.

O senador Omar Aziz (PSD-AM) apoiou o colega e pediu discernimento aos presidentes de federação para evitar alguma “contaminação”. Aziz disse que o povo quer transparência e tem o direito de saber onde estão os recursos que deveriam ser investidos no futebol.

"O futebol é do Brasil e não é de pessoas que estão na CBF momentaneamente", declara o parlamentar do Amazonas.

(com Agência Senado)

Últimas notícias

Comentários