Reforma do Parque Municipal emperra no apoio do governo federal

A importante área verde de Belo Horizonte passaria por uma grande requalificação, mas o projeto não saiu do papel devido à redução drástica do investimento que seria feito pelo Ministério do Turismo

por Vinícius Andrade 11/06/2015 13:01

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

CORREÇÃO:

Preencha todos os campos.
Ramon Lisboa/EM/D.A Press
A reforma previa a construção de pistas de cooper, de instalação de banheiros, de requalificação paisagística, mas, infelizmente, não deve sair do papel (foto: Ramon Lisboa/EM/D.A Press)
Patrimônio natural em plena área central de Belo Horizonte, o Parque Municipal é um dos mais importantes cartões postais da cidade. Inaugurado há 117 anos, o espaço sofre com alguns problemas de infraestrutura. Há dois anos, a Prefeitura de Belo Horizonte (PBH) lançou um projeto de revitalização da área, mas um impasse com o Ministério do Turismo inviabilizou a proposta inicial. O planejamento atual consiste apenas na implantação de toda a sinalização do parque, que já está em andamento.

Segundo a Fundação de Parques Municipais (FPM), o projeto de requalificação estava estimado em R$ 12,5 milhões. Desse valor, o Ministério do Turismo arcaria com R$ 9,75 milhões, e o restante (R$ 2,75 milhões) seria bancado pela PBH. Porém, em março de 2015, o ministério informou à prefeitura que não faria o repasse estabelecido, reduzindo o apoio para R$ 1,5 milhão. Nessa condição, o órgão municipal considera inviável a continuidade da proposta.
 
Ainda conforme a FMP, outro projeto de melhorias no parque já está em andamento, com recursos do governo do estado e da própria PBH. O planejamento consiste na construção do um espaço multiuso no local onde funcionava o colégio Imaco. O local, destinado a congressos e shows, terá capacidade para três mil pessoas. A obra está sendo conduzida pela Superintendência de Desenvolvimento da Capital.

Confira abaixo as intervenções previstas na proposta inicial, mas que não saíram do papel:

  • Construção de um centro administrativo

  • Adequação do espaço administrativo atual para implantação de um centro de educação ambiental e uma casa para a guarda municipal

  • Requalificação da pista de cooper, com a implantação de dois percursos, sendo um maior, contornando todo o parque

  • Adequação do espaço onde hoje está a lanchonete para implantação de bilheterias

  • Construção de sanitários para ambulantes e funcionários anexos ao centro administrativo

  • Construção de sanitários públicos em dois módulos, permitindo otimização de recursos gerais (água, material de limpeza, mão de obra). Um módulo para os dias de semana, de menor movimento, e os dois módulos funcionando juntos nos finais de semana

  • Requalificação paisagística

  • Implantação de nova sinalização interna no parque

Últimas notícias

Comentários