Neymar deixa concentração brasileira após CBF decidir não apelar

O capitão e craque da Seleção Brasileira não está mais na concentração da equipe liderada por Dunga, em Santiago, após a decisão da Confederação Brasileira de Futebol de não recorrer da sanção de quatro jogos ordenada pela Conmebol

22/06/2015 12:26

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

CORREÇÃO:

Preencha todos os campos.
Rafael Ribeiro/CBF/Divulgação
Após ser suspenso por quatro jogos, por agressão a jogadores da Colômbia e xingar o juiz, Neymar decide deixar a concentração brasileira e voltar ao país (foto: Rafael Ribeiro/CBF/Divulgação)
O craque do Barcelona, da Espanha, diz adeus aos seus companheiros de equipe. No domingo, dia 21 de junho, Neymar deixa o hotel Sheraton, depois de assistir das arquibancadas do estádio Monumental a vitória do Brasil sobre a Venezuela (2-1), que qualificou a Seleção Brasileira para as quartas-de-final da Copa América.

O jogador também publicou no Twitter uma carta de despedida, em que se diz arrependido por não ser capaz de jogar o evento. "Espero com fé e esperança a chance de ainda jogar em nossa seleção, mas, infelizmente não é possível. Nunca me esquivei da responsabilidade que tenho como um líder e capitão do grupo, e é hora de tomar uma decisão", diz Neymar no post da rede social.

Segundo o craque, o treinamento com perspectivas de que não poderia jogar, não seria "positivo" para ele e para a equipe. "Peço desculpas aos meus colegas, por termos chegado a esta situação. Mas, tenho certeza de que ganhei um aprendizado para a minha carreira. Boa sorte, Brasil", completa o jogador do Barcelona.

Justiça

Após o último jogo válido pelo grupo C da Copa América, a comissão técnica da CBF decidiu não recorrer da sanção imposta pela Confederação Sulamericana de Futebol (Conmebol) contra o jogador Neymar, de quatro jogos, devido à expulsão no jogo contra a Colômbia. O brasileiro chutou a bola contra Pablo Armero e deu uma cabeçada em Jeison Murillo, além de insultar o árbitro chileno Enrique Osses, no túnel que dá acesso ao vestiário.

"A comissão técnica e o jogador esperam que a Conmebol tenha o mesmo rigor adotado na suspensão de Neymar em relação às competições organizadas pela instituição", reclama a CBF por meio de comunicado enviado à imprensa.

"Também lamentamos a perda de um jogador importante na disputa desta competição", acrescenta a confederação brasileira.

Depois de tomar conhecimento da pena que lhe foi aplicado, Neymar, o capitão escolhido por Dunga para a nova fase da Seleção Brasileira após 2014, ficou junto a seus pares, no Chile, até deixar a delegação, no último domingo, para seguir até o Brasil, onde iniciará suas férias – até ser convocado pelo Barcelona.

(com Agência Télam)

Últimas notícias

Comentários