Vídeo mostra discriminação e dá lição de moral

Família evita se aproximar de rapaz, devido ao preconceito, e acaba descobrindo uma verdade emocionante sobre ele

22/06/2015 14:06

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

CORREÇÃO:

Preencha todos os campos.
YouTube/Reprodução
A família discrimina o rapaz e evita se sentar ao lado dele no consultório médico. Porém, eles acabam descobrindo uma verdade chocante sobre o jovem, e que está relacionada à filha do casal (foto: YouTube/Reprodução)
Muitos vídeos fazem sucesso no YouTube, seja com animais ou crianças, seja com situações inusitadas. Neste caso, trata-se de um caso de preconceito que termina com uma lição de moral. Um casal chega ao consultório médico com a filha, e, lá, fazem de tudo para evitar se sentar ao lado de um rapaz. Porém, depois que o médico os chama, descobrem uma verdade perturbadora em relação ao homem discriminado.

Veja o vídeo:


Medula óssea

A lição de moral apresentada no vídeo é como um "tapa na cara" de quem discrimina as pessoas de forma incondicional. Ainda mais quando se trata da doação de órgãos, que, normlamente, envolve desconhecidos, preocupados com o próximo.

Segundo o Instituto Nacional de Câncer José Alencar Gomes da Silva (Inca), o transplante de medula óssea, tema do vídeo, é indicado em casos de doenças do sangue como a anemia aplástica grave, mielodisplasias e em alguns tipos de leucemias, como a leucemia mieloide aguda, leucemia mieloide crônica, leucemia linfoide aguda. No mieloma múltiplo e linfomas, o transplante também pode ser indicado.

A doação é feita em centro cirúrgico, sob anestesia, e tem duração de aproximadamente duas horas. "São realizadas múltiplas punções, com agulhas, nos ossos posteriores da bacia e é aspirada a medula. Retira-se um volume de medula do doador de, no máximo, 15%. Esta retirada não causa qualquer comprometimento à saúde", informa o Inca, em sua página na internet.

Confira abaixo quais são os passos nevessários para quem quer se tornar doador de medula óssea, conforme o Inca:

  • Qualquer pessoa entre 18 e 55 anos com boa saúde poderá doar medula óssea. Esta é retirada do interior de ossos da bacia, por meio de punções, e se recompõe em apenas 15 dias

  • Os doadores preenchem um formulário com dados pessoais e é coletada uma amostra de sangue com 5 ml, para testes, que determinam as características genéticas que são necessárias para a compatibilidade entre o doador e o paciente

  • Os dados pessoais e os resultados dos testes são armazenados em um sistema informatizado que realiza o cruzamento com dados dos pacientes que estão necessitando de um transplante

  • Em caso de compatibilidade com um paciente, o doador é então chamado para exames complementares e para realizar a doação

  • Tudo seria muito simples e fácil, se não fosse o problema da compatibilidade entre as células do doador e do receptor: a chance de encontrar uma medula compatível é, em média, de uma em cada 100 mil

  • Para o doador, a doação será apenas um incômodo passageiro. Para o doente, será a diferença entre a vida e a morte

  • Para doar, é preciso se cadastrar nos Hemocentros dos estados – em Minas, procure o Hemominas

Últimas notícias

Comentários