Será que book rosa realmente existe?

Pessoas ligadas ao mundo da moda revelam como ocorre a prática criminosa e dão dicas para que as mulheres evitem cair em golpes de falsas agências

por Marcelo Fraga 02/07/2015 16:01

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

CORREÇÃO:

Preencha todos os campos.
Estevam Avellar/TV Globo/Divulgação
Na novela Verdades Secretas, a personagem Angel (Camila Queiroz), que sonha em ser modelo de sucesso, acaba sendo vítima do book rosa (foto: Estevam Avellar/TV Globo/Divulgação)
A novela Verdades Secretas, da Rede Globo, trouxe, logo em seus primeiros capítulos, um assunto bastante polêmico: a existência do chamado "book rosa" no universo fashion. Também chamada de ficha rosa, a prática consiste em aliciar modelos – sobretudo no início da carreira – para se sujeitarem à prostituição.

Na trama televisiva, as jovens modelos Stephanie (Yasmin Brunet) e Angel (Camila Queiroz) são algumas das várias garotas aliciadas por Fanny (Marieta Severo), que é dona de uma importante agência de modelos. Fanny, por sua vez, promete a algumas de suas agenciadas o sucesso na carreira, desde que elas façam parte de uma rede de prostituição.

A história contada na novela não acontece só na ficção. Uma coordenadora de misses, que preferiu não ser identificada, revelou, com exclusividade, à Encontro, que tem conhecimento de vários casos de aliciamento de modelos. Segundo ela, há dois anos, foi convidada, por um suposto empresário do ramo da moda, para um almoço em Belo Horizonte. "Ele pediu que eu levasse minhas misses para conhecê-las, pagou todas as despesas e fez muitas promessas. Tudo transcorria tranquiliamente, até que me pediu para ter uma conversa particular e disse o seguinte: 'Patrocino todas as suas meninas, mas quero saber qual delas vai dormir comigo essa noite'. Fiquei assustada, e levei as meninas embora, imediatamente".

Facebook/Reprodução
Muitas páginas no Facebook oferecem o serviço de aliciamento de jovens garotas para participarem da polêmica ficha rosa (foto: Facebook/Reprodução)


Além do aliciamento, jovens modelos ou aspirantes a uma carreira no mundo da moda também podem ser vítimas de golpes. O olheiro Athos Fernandes, que trabalha no interior de Minas como representante de duas conhecidas agências internacionais, afirma nunca ter presenciado casos do chamado book rosa, mas conta que várias modelos já relataram tentativas de aliciamento e, até mesmo, de golpes: "Infelizmente, é muito comum. Existem pessoas mal intencionadas que se aproveitam do sonho das meninas para seduzi-las".

Athos Fernandes conta que a principal fonte de golpes é a internet. Por meio das redes sociais, como o Facebook, falsos empresários e redes de prostituição criam páginas como se fossem agências de modelos. Ainda segundo o especialista em moda, os golpistas prometem ajudar as garotas a ingressarem na carreira e pedem que elas enviem fotos nuas para um suposto processo seletivo. "Nenhuma agência séria faz seleção totalmente via internet, e jamais pede fotos das meninas sem roupa. No máximo, o que pode ser pedido, em alguns casos, é uma foto usando biquíni", afirma o olheiro.

Para evitar os golpes, o especialista recomenda que as garotas fiquem atentas a alguns detalhes importantes:

  • Verifique se a agência de modelos possui CNPJ

  • Confira se a empresa possui sede física

  • Peça referências, inclusive trabalhos já publicados na mídia

  • Em nenhuma hipótese envie fotos via redes sociais

Últimas notícias

Comentários