Segundo SPC Brasil, brasileiros continuam comprando por impulso

O levantamento mostra que 53% dos entrevistados realizaram ao menos uma compra desnecessária nos últimos três meses

por Da redação com assessorias 02/07/2015 17:38

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

CORREÇÃO:

Preencha todos os campos.
Bruno Peres/CB/D.A Press
Quem consegue ir ao shopping sem realizar uma compra desnecessária? Segundo SPC Brasil, 53% dos brasileiros compraram por impulso nos últimos três meses (foto: Bruno Peres/CB/D.A Press)
Conhecer e respeitar os limites do próprio bolso antes de se fazer uma compra não é um hábito muito presente para a maior parte dos brasileiros. Isso foi constantado por um levantamento nacional feito pelo Serviço de Proteção ao Crédito (SPC Brasil). Segundo o estudo, mais da metade dos consumidores (53%) das capitais admite ter realizado pelo menos uma compra por impulso nos últimos três meses. O percentual é ainda maior entre as mulheres, já que seis em cada 10 (57%) entrevistadas assumem a falta de planejamento em relação às suas últimas compras.

Os especialistas do SPC Brasil alertam que as compras por impulso são um dos principais responsáveis pela falta de controle orçamentário e um impeditivo para que os consumidores tenham uma reserva financeira para lidar com imprevistos ou realizar sonhos. "Um dos problemas associados ao comportamento impulsivo é o risco de endividamento em excesso. Quando as dívidas vão se acumulando e comprometem o dinheiro destinado aos gastos imprescindíveis, como despesas da casa e contas de primeira necessidade, é hora de o consumidor procurar ajuda para regularizar os atrasos porque ele pode cair na inadimplência", afirma o educador financeiro José Vignoli.

Tentações

Quando perguntados sobre os produtos que menos resistiram e acabaram comprando mesmo sem haver necessidade, os itens mais citados são as roupas (24%), calçados (12%), CDs e DVDs (7%), smartphones (7%) e livros (6%).

Dentre as motivações que mais levam os consumidores a fazerem uma compra sem planejamento prévio, a principal delas é a promoção (51%), sobretudo entre a parcela feminina de entrevistados (61%) e indivíduos da classe C (55%). Também foram mencionados outros estímulos como a atratividade do preço (31%), as características do produto, como funcionalidade e beleza (6%) e a facilidade de pagamento (4%).

O SPC Brasil lembra que, geralmente, o consumidor está em busca da parcela mensal que cabe no bolso, cedendo às compras desnecessárias, sobretudo quando existe a possibilidade de contar com o crédito como um facilitador.

Últimas notícias

Comentários