Que tal ter seios volumosos instantaneamente, sem usar implantes?

Nova técnica permite que a mulher experimente a sensação de aumentar os peitos, mas, caso se arrependa, não precisa se preocupar, pois eles voltam ao normal em até 24 horas

por Vinícius Andrade 06/07/2015 09:07

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

CORREÇÃO:

Preencha todos os campos.
YouTube/Reprodução
O Instabreast consiste na injeção de uma solução salina nos seios, que aumentam de volume, mas voltam ao normal quando o corpo absorve o líquido, depois de 24 horas (foto: YouTube/Reprodução)
O tamanho dos seios ainda é um dilema para boa parte das mulheres. Pensando em um resultado imediato, porém momentâneo, o cirurgião plástico nova-iorquino Norman Rowe desenvolveu uma técnica batizada de "Instabreast" (ou seio instantâneo, em tradução livre). O procedimento promete peitos fartos na mesma hora, mas, a realidade volaria à tona em até 24 horas.

A alternativa criada pelo norte-americano é simples. O cirurgião escolhe uma região perto de cada um dos mamilos, aplica a anestesia local e injeta uma solução salina nos seios até que eles cheguem ao tamanho desejado. O líquido é reabsorvido pelo corpo em poucas horas.

O Instabreast estimula as mulheres que pretendem passar um dia com os seios maiores ou que desejam testar um novo tamanho das mamas antes de recorrer à cirurgia plástica. No entanto, o preço desestimula o público: o procedimento custa US$ 2.500 (cerca de R$ 7.775).

Opinião de especialista

Segundo o cirurgião plástico Eduardo Nigri, diretor do departamento científico da Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica, a prática de Norman Rowe realmente funciona, mas não compensa quando se fala em custo-benefício. "Não é o que a gente propõe na cirurgia plástica, porque queremos resultados mais duradouros", diz o especialista.

Além do efeito em curto prazo, Eduardo também alerta para os perigos do procedimento. "Quando você faz uma infiltração, por mais que seja uma solução estéril, você pode correr riscos. A própria injeção da agulha pode resultar em algum tipo de reação inflamatória ou processo infeccioso", destaca o cirurgião.

O Instabreast está mais relacionado à medicina estética do que propriamente à cirurgia plástica. No Brasil, ainda não se tem conhecimento de profisisonais que realizem a técnica.

Últimas notícias

Comentários