Argentina lembra os 25 anos do polêmico pênalti que lhe tirou a Copa de 1990

Hoje é o aniversário de um dos mais lendários jogos da Seleção Argentina: a final da Copa do Mundo da Itália, de 1990, em que um pênalti polêmico, a cinco minutos do fim do jogo, levou Alemanha Ocidental a conquistar o Mundial

08/07/2015 15:47

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

CORREÇÃO:

Preencha todos os campos.
YouTube/Reprodução
O zagueiro argentino Roberto Sensini Nestor usa o pé direito para afastar a bola do atacante alemão Rudolf Rudi Völler, que se joga no chão, e o árbitro mexicano Eduardo Codesal logo marca pênalti (foto: YouTube/Reprodução)
Domingo, 8 de julho de 1990, Estádio Olímpico de Roma, na Itália. Ao todo, 73.063 espectadores assistem ao final da Copa do Mundo, e, até hoje, se perguntam se o zagueiro argentino Roberto Sensini Nestor cometeu mesmo a infração dentro da área contra o atacante alemão Rudolf Rudi Völler.

Sensini corre do centro da grande área para a esquerda, acompanhando Völler, e, numa tentativa de interceptar a bola, chutando-a com o pé direito. Eis que o atacante alemão se joga no chão. O árbitro mexicano Eduardo Codesal não hesita: pênalti.

Confira a cena do suposto pênalti:


Logo se formou um redemoinho de argentinos em volta do juiz, protestando inclusive com palavras de baixo calão (que foram confirmadas, anos depois, por jogadores como Pedro Troglio). Mas, não tinha mais como voltar atrás. A esperança argentina estava, agora, nas mãos do goleiro Sergio Goycochea, que já havia ajudado a equipe nas quartas-de-final contra a Iugoslávia, e na semifinal contra a Itália.

A condição física precária de Diego Maradona e a ausência de Claudio Caniggia, que estava fora devido a um cartão amarelo recebido no jogo contra a Itália, fizeram com que a equipe argentina tentasse se sustentar, aos "trancos e barrancos", visando uma possível disputa de pênaltis – para isso, teria de empatar o jogo, que estava 1x 0 para os alemães.

No segundo tempo, os argentinos reclamam de uma suposta falta "criminosa" de Lothar Matthaus sobre Gabriel Calderon, mas Codesal continuou o jogo. Tudo permaneceu como estava, e o resto é história: o pênalti duvidoso coroou a Alemanha Ocidental e os argentinos perderam a chance de repetir o feito do Mundial do México de 1986.

O jogo também encerrou o ciclo de trabalho de Bilardo à frente da Seleção Argentina, e abriu caminho para a primeira fase do técnico Alfio Basile.

Veja, abaixo, as escalações das duas equipes na final da Copa de 1990:

Alemanha Ocidental

Bodo Illgner; Thomas Berthold (substituido por Stefan Reuter aos 73'), Guido Buchwald, Klaus Augenthaler, Jürgen Köhler y Andreas Brehme; Thomas Hässler, Lothar Matthäus (capitão) e Pierre Littbarski. No ataque, Rudolf Rudi Völler e Jürgen Klinsmann
Técnico: Franz Beckenbauer

Argentina

Sergio Goycochea; Juan Ernesto Simón, Oscar Ruggeri (substituido por Pedro Monzón aos 46'), José Serrizuela y Roberto Néstor Sensini; Pedro Troglio, José Horacio Basualdo, Jorge Luis Burruchaga (substituido por Gabriel Calderón aos 53') e Néstor Lorenzo. No ataque, Gustavo Dezotti e Diego Maradona (capitão)
Técnico: Carlos Salvador Bilardo

Expulsos no segundo tiempo: Pedro Monzón aos 20 minutos e Gustavo Dezotti aos 43

(com Agência Télam)

Últimas notícias

Comentários