A doença da Era Digital: pescoço SMS

Se você fica olhando para baixo por muito tempo, mexendo no smartphone, pode acabar sofrendo problema na coluna

14/07/2015 10:02

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

CORREÇÃO:

Preencha todos os campos.
Handout/WikiMedia/Reprodução
A cada ângulo de inclinação da cabeça, o peso exercido sobre o pescoço cresce muito, o que pode causar sérios problemas na coluna vertebral (foto: Handout/WikiMedia/Reprodução)
Você sabia que a cabeça humana, que pesa em média 5,5 kg, num ângulo de 60º, passa a pesar nada menos que 27 kg? Pois é, andar com a cabeça baixa mexendo em dispositivos eletrônicos é um perigo para a coluna, em especial para a região do pescoço.

Segundo o estudo do médico americano Kenneth Hansraj, publicado na revista especializada Surgical Technology International, milhões de pessoas passam horas digitando em aparelhos celulares. Com o tempo, a postura incorreta, chamada de "text neck" (ou pescoço SMS, na tradução livre), pode levar a um desgaste precoce ou a uma degeneração da coluna vertebral – sendo necessária até uma intervenção cirúrgica.

"Trata-se de uma epidemia, ou, pelo menos, de algo muito comum", diz Hansraj ao jornal americano The Washington Post. "Basta olharmos à nossa volta, todo mundo está com a cabeça para baixo", completa o médico.

Se você não acha que 27 kg representam uma ameaça, imagine transportar uma criança de oito anos no pescoço durante várias horas por dia. Quem passa muito tempo usando smartphone, em média de duas a quatro horas por dia, encurvado – lendo emails, enviando mensagens no WhatsApp ou consultando redes sociais –, exerce um stress enorme sobre a coluna vertebral, segundo o estudo.

YouTube/Reprodução
Com apenas 14 anos, a jovem americana Sarah Atchison sofre com o problema chamado 'pescoço SMS', que surgiu com o uso indiscriminado de smartphones (foto: YouTube/Reprodução)


Os alunos do ensino médio podem ser os mais prejudicados. "O problema é mais grave quando se trata dos jovens. Com o nível de stress sobre o pescoço, poderemos começar a ver pessoas novas precisando de tratamentos para a coluna. Os pais devem ter mais atenção a essa questão", afirma o pesquisador americano.

Exemplo

Com apenas 14 anos, a jovem Sarah Atchison, natural do Colorado, nos Estados Unidos, sofre com o chamado "pescoço SMS". Depois de se queixar de dores constantes na região do pescoço, nos ombros e nas costas, a mãe a levou para o hospital. Chegando lá, os médicos logo diagnosticaram o problema, que já havia sido registrado anteriormente em outros jovens. Agora, a adolescente está realizando fisioterapia para tentar recuperar a forma natural da coluna – o que não é garantido pelos especialistas.

Últimas notícias

Comentários