S10 ganha nova versão luxo

Apostando na força do setor de agronegócios, Chevrolet lança nova versão top para a S10, voltada para custo/benefício, e passa a vender versão sem caçamba

por Fábio Doyle* 17/07/2015 14:00

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

CORREÇÃO:

Preencha todos os campos.
Edy Danessi Fotografias/GM/Divulgação
A nova caminhonete Chevrolet S10 High Country estreia com cabine dupla, motor 2.8 Turbodiesel, transmissão automática de seis marchas e tração 4x4 (foto: Edy Danessi Fotografias/GM/Divulgação)
CAMPINAS (SP) - Apostando que o setor de agronegócios será o menos afetado pela crise econômica, a Chevrolet apresentou a linha 2016 da picape S10, que traz como principal novidade uma nova versão top, a High Country, além de acrescentar mais três versões de acabamento: a Advantage, Freeride e Chassis Cab, de cabine simples e voltada a frotistas.

A S10 High Country chega ao preço sugerido de R$ 163.800 para inaugurar um novo patamar de sofisticação entre as picapes de produção nacional, explicou Samuel Russell, diretor de marketing da GM do Brasil.

Para receber a chancela High Country, a picape ganhou uma série de itens, como faróis em cromo escurecido com projetor, aplique no para-choque dianteiro, estribos laterais, rodas aro 18 com superfície usinada, frisos cromados na base dos vidros das portas além de um Santo Antonio integrado à caçamba, que vem com capota marítima. Lanternas em LED, maçaneta da tampa traseira cromada e rack de teto com barras longitudinais e transversais completam a lista de detalhes externos.

O interior da picape traz o mesmo nível de acabamento do SUV Trailblazer. Os bancos são revestidos por uma mescla de couro sintético com forração em dois tons (marrom Brownstone e preto Jet Black), costura pespontada e descansa braço traseiro. Já o assento do motorista conta com regulagem elétrica de altura, distância e inclinação do encosto. O veículo traz ainda ar-condicionado digital, computador de bordo, volante multifuncional, sensor de estacionamento, controle de cruzeiro (cruise control) e sistema multimídia Chevrolet MyLink com GPS, DVD e câmera de ré integrados.

Edy Danessi Fotografias/GM/Divulgação
(foto: Edy Danessi Fotografias/GM/Divulgação)


Na lista de equipamentos de segurança estão o controle eletrônico de estabilidade, controle de velocidade em declive (Hill Descent Control), freios ABS com sistema de distribuição de frenagem (EBD), cinto de segurança traseiros e central de três pontos retráteis, alarme de não afivelamento do cinto de segurança e airbags.

A S10 High Country estreia com cabine dupla, motor 2.8 Turbodiesel, transmissão automática de seis marchas e tração 4x4, que é comandada por um seletor eletrônico no console central da cabine. O conjunto oferece torque de 51,0 kgfm a 2.000 rpm (90% deste valor já está disponível a 1.700 rpm) e 200 cavalos de potência a 3.600 rpm. Para “apimentar” a oferta a Chevrolet acrescentou a cor vermelho Chili como opção para a S10 High Country.

Freeride

Na configuração Freeride, ao preço sugerido de R$ 95.340, a S10 traz cabine dupla, motor 2.5 Ecotec com injeção direta de combustível (206 cv), transmissão manual de seis marchas, sistema multimídia Chevrolet MyLink, ar-condicionado, computador de bordo, vidros e travas acionados por controle remoto, controle de cruzeiro (cruise control), airbag duplo, retrovisores elétricos, rodas aro 16, além de capota marítima, Santo Antonio e câmera de ré.

Advantage

Baseada no modelo LT 4x2 cabine dupla, a S10 Advantage diferencia-se externamente pelas rodas escuras aro 16 e pelo decalque decorativo na lateral. Faróis de neblina, adesivo na coluna central e maçanetas pintadas na mesma cor da carroceria fazem parte do pacote.

Na cabine, destacam-se os bancos e o painel das portas com inserto em tecido, console central com porta-copos e porta-objetos, tomada extra para os passageiros do assento traseiro, luzes de leitura e sombreiras do carona com espelho.

As portas, os vidros e os retrovisores têm comando elétrico, a chave é do tipo canivete e o sistema multimídia Chevrolet MyLink permite ao usuário trazer suas músicas, fotos e vídeo e efetuar ligações telefônicas por meio de um smartphone. O banco do condutor e a direção possuem sistema de regulagem de altura. O propulsor é o 2.4 FlexPower, de até 147 cv.

Edy Danessi Fotografias/GM/Divulgação
(foto: Edy Danessi Fotografias/GM/Divulgação)


Chassis Cab

Ainda sem preço definido, voltada exclusivamente para o segmento frotista, a nova versão Chassis Cab da S10 vem pronta para ser personalizada conforme a necessidade da empresa: baú, carroceria, guindastes. O comprador da Chassis Cab pode escolher o motor 2.4 FlexPower de até 147 cv de potência e 24,1 kgfm de torque ou o motor 2.8 Turbodiesel de 200 cv e 44,9 mkgf. A capacidade de carga também é destaque: são até 1.343 kg. O início das vendas deve ocorrer no terceiro trimestre.

Mercado

Lançada em março de 1995 como a primeira picape nacional de seu segmento, a S10 vem mantendo a liderança de vendas deste então, ultrapassando a marca de 600 mil unidades emplacadas.

No primeiro semestre de 2015 a caminhonete Chevrolet teve, segundo a Fenabrave (associação dos revendedores), 19.023 unidades emplacadas, volume 23,7% menor que o do mesmo período do ano passado. Nos primeiros seis meses de 2014, foram vendidas 28,3% mais S10 do que a segunda colocada, a Toyota Hilux. Na primeira metade de 2015 essa vantagem caiu para 14,5%. As vendas do segmento de picapes grandes caíram 22.83% na comparação dos mesmos períodos; foram de 81.609 unidades de janeiro a junho de 2014 ante 62.976 no primeiro semestre deste ano. No ranking de vendas desse segmento o terceiro lugar é do Ford Ranger, seguido pela Mitsubishi L/200, pela VW Amarok e Nissan Frontier, em sexto lugar. Na comparação de preços praticados entre as versões diesel topo de linha cabine dupla de cada modelo o melhor preço, segundo pesquisa do Datafolha, é o da Amarok (R$ 136.040) e o mais caro é o da Hilux (R$ 174.100). A S10, que lidera as vendas, registrou preço de R$ 156 mil. Já de acordo com a tabela Fipe (Fundação Instituto de Pesquisas Econômicas) os preços médios praticados são de R$ 126.828 (Amarok, a mais barata) a R$ 147.742 (Ford Ranger, a mais cara), sempre considerando o modelo mais caro com cabine dupla, motor diesel e transmissão automática.

* O jornalista viajou a convite da GM

Últimas notícias

Comentários