Aprenda a cuidar bem de um machucado

Nas férias, arranhões, cortes e outros ferimentos são mais comuns, especialmente entre as crianças

por Da redação com assessorias 22/07/2015 13:47

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

CORREÇÃO:

Preencha todos os campos.
Pixabay
Especialista lembra que ferimentos mais profundos não devem ser limpos com álcool, e o curativo deve ser trocado periodicamente, evitando lavar o local entre as trocas (foto: Pixabay)
Por mais que os pais tomem todos os cuidados para manter a criança segura, por exemplo, com a vigilância constante de alguém, vez ou outra ocorre uma queda, um arranhão ou um hematoma. Quando o acidente resulta em feridas, segundo a enfermeira Mara Blanck, presidente da Sociedade Brasileira de Enfermagem em Feridas e Estética, é imprescindível que esses machucados não sejam negligenciados.

"Quando malcuidado, o processo de recuperação do ferimento será mais demorado, doloroso e o local machucado poderá sofrer prejuízos irreparáveis, além da nova pele nascer com até 50% menos qualidade que a original", diz a especialista.

Segundo Mara, o corpo produz células chamadas de fibroblastos, que se agrupam e formam o novo tecido na cicatrização. Esse processo requer tempo e estabilidade do local atingido, para que a reconstrução seja completa e sem as indesejáveis marcas. No caso das crianças, o processo pode ser mais rápido, já que elas apresentam ótima capacidade de regeneração tecidual. Porém, a especialista explica que locais de grande mobilidade e difícil fixação de curativos, como joelhos e cotovelos, por exemplo, podem ter uma resposta mais lenta. "Somada à grande atividade das crianças, esta lentidão às vezes resulta em cicatrizes permanentes, o que pode não ocorrer em lesões do mesmo perfil em outras regiões do corpo", lembra a enfermeira.

Certo e errado

Para prestar os primeiros socorros, Mara Blanck recomenda apenas o uso de antisséptico, álcool a 70°, fita micropore e gaze. No caso de cortes, é recomendado muita higiene, pouco movimento, troca de curativos regularmente e uso de álcool a 70° para eliminar bactérias. "É importante esclarecer, no entanto, que o álcool não pode ser aplicado em lesão aberta, apenas em cortes de pequeno porte, em que a dor é suportada", recomenda a especialista.

No caso de queimaduras leves, que deixam a pele vermelha, o recomendado é lavar em água corrente e nunca estourar as bolhas. Já em situações de mordidas, é recomendado lavar o local com água e sabão e procurar uma emergência.

Entre os procedimentos adotados por muitos pais leigos, mas que não são aconselháveis, estão o uso de borra de café, pasta de dente e vinagre para cicatrizar certas lesões. Outro exemplo do que não deve ser feito, segundo a enfermeira, é lavar os ferimentos secos no momento da troca de curativos.

Após cicatrizados, os machucados ainda merecem atenção. A especialista lembra que na fase pós-cicatrização, a pele ainda está bastante frágil e necessita de proteção contra fricções ou exposição solar. Além disso, "é indispensável a hidratação do local com produto hipoalergênico".

Últimas notícias

Comentários