BH será visitada por extraterrestres no próximo sábado?

Segundo um 'embaixador cósmico', está tudo pronto para que a Praça Sete, no centro da capital mineira, seja palco da aterrissagem de astronaves

por Da redação - Encontro Digital 24/07/2015 15:29

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

CORREÇÃO:

Preencha todos os campos.
Facebook/embaixada.cosmica/Reprodução
O mineiro Walmir Marques se diz embaixador cósmico, e alerta os belo-horizontinos para a chegada de seres extraterrestres no sábado, dia 25 de julho (foto: Facebook/embaixada.cosmica/Reprodução)
Uma visita inusitada está programada para acontecer neste sábado, em Belo Horizonte. Segundo o mineiro Walmir Marques, de 56 anos, que se apresenta como "embaixador cósmico", seres extraterrestres vão desembarcar às 18h na Praça Sete, no centro da capital mineira. O objetivo, segundo ele, seria uma abertura de fronteiras entre os visitantes do espaço e a raça humana.

Walmir se diz representante de 70 espécies que existem fora de nosso planeta, incluindo as conhecidas como ciclopes e espatacassauro. Ano passado, ele afirma ter tentado contato com a presidente Dilma Rousseff e com o prefeito de Belo Horizonte, Márcio Lacerda, para autorizar o desembarque de uma nave espacial na capital mineira. O evento reuniria mais de 100 mil pessoas, mas teria sido barrado pela PBH.

Até no 7x1

Por não ter conseguido o aval para o desembarque alienígena, o embaixador cósmico afirma que as raças extraterrestres ficaram chateadas e foram determinantes para o resultado do jogo entre Brasil e Alemanha, na semifinal da Copa do Mundo de 2014. "O jogo ficou 7 a 1 em uma referência à Praça Sete. Se fosse praça 20, seriam 20 gols. Já que eles [governantes] melaram nosso jogo, os extraterrestres melaram o jogo deles [humanos]", conta Walmir.

Conforme o embaixador, a meditação que foi realizada na Praça Sete, na quinta-feira, dia 23 de julho, promovida pela organização Brahma Kumaris, foi uma preparação para a chegada dos extraterrestres. Porém, Walmir conta que os coordenadores do Medita BH disseram não acreditar em alienígenas, o que poderia dificultar um pouco a vinda deles.

Obelisco

A escolha dos ciclopes e demais raças de aterrissar na Praça Sete tem uma lógica, segundo o embaixador cósmico. O obelisco símbolo da junção entre as avenidas Afonso Pena e Amazonas, popularmente conhecido como "pirulito", seria um artefato extraterrestre. O próprio Walmir Marques já havia "dedetizado" a estrutura, no fim de 2012, para facilitar a chegada das naves espaciais.

Questionado sobre como é feito o contato com as raças alienígenas, o embaixador cósmico diz a comunicação se dá por telepatia. De acordo com ele, qualquer ser humano é capaz de realizar essa interação. O próximo passo de Walmir é entrar com um projeto de lei na Assembleia Legislativa de Minas Gerais, para legitimar um símbolo na carteira de identidade para as pessoas lembrarem que o DNA da raça humana é de origem marciana.

E se não vierem?

Caso os extraterrestres não venham a Belo Horizonte neste sábado, Walmir já possui uma explicação: "Funciona como um processo. Igual o pouso na Lua, de 1969. Quem pousou na Lua foi a missão Apollo 11, mas, antes dela, existiram as Apollo 1, 2, 3, e assim por diante. Até Santos Dumont, para chegar ao 14 Bis, precisou criar vários experimentos", destaca o embaixador cósmico.

Segundo ele, a população e o "terreno" precisam estar preparados para receberem outras civilizações.

Últimas notícias

Comentários