Segundo pesquisa, 35% dos internautas conhecem alguém que já fez aborto ilegal

Esse número é ainda maior quando se considera o público feminino que respondeu ao questionamento: 43% das mulheres dizem conhecer alguém que realizou a prática de forma ilegal

por Da redação com assessorias 28/07/2015 16:31

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

CORREÇÃO:

Preencha todos os campos.
Fernando Lopes/CB/D.A Press
(foto: Fernando Lopes/CB/D.A Press)
Polêmica, tabu e pecado. São três classificações possíveis quando se trata do aborto. O assunto sempre desperta discussão e levanta opiniões das mais variadas. São vários os pontos de vista de acordo com os perfis das pessoas, grau de esclarecimento e conhecimento sobre o assunto. No Brasil, o aborto é legalizado apenas em casos específicos, como estupro ou quando envolve risco de vida para a mãe.

Para entender o que os brasileiros pensam sobre o aborto, a empresa de pesquisa de mercado e de opinião, Expertise, fez um raio-X com internautas brasileiros para saber como eles enxergam o país sob o ponto de vista de assuntos relevantes do cotidiano. Foram entrevistados 1.498 pessoas, de ambos os sexos, de todas as classes sociais e moradores de todas as regiões do país, durante o mês de junho.

O primeiro item que a pesquisa quis avaliar é o quanto os brasileiros conhecem sobre a lei do aborto no país. Concluiu-se que 2/3 dos entrevistados sabem claramente como a lei funciona no Brasil, atualmente. Chama a atenção também que aqueles que são favoráveis à prática do aborto têm maior grau de conhecimento da legislação: 74%.

E por falar na opinião de quem é contra e quem é a favor, 57% dos entrevistados concordam com a lei como é hoje, ou seja, com a possibilidade de se realizar o procedimento apenas em casos como estupro, risco de vida para a mãe ou fetos anencéfalos. Apenas 23% são contra o aborto em qualquer circunstância e 16% são a favor de uma forma geral.

Polêmica

Além de ser um tema polêmico, o que chamou a atenção na pesquisa foi o número de pessoas que conhecem alguém que já fez um aborto clandestino: 35% afirmam conhecer pelo alguém, sendo que 14% afirmam que conhecem mais de uma pessoa. O dado é maior entre as mulheres: 43% delas afirmaram conhecer alguém que já praticou aborto clandestino. "Ao pensar na forma como esses abortos clandestinos são realizados, esse número impressiona. Ainda que haja uma maioria que seja a favor da forma como a lei é hoje, o fato de aproximadamente quatro em cada 10 pessoas conhecer alguém que fez um aborto ilegal mostra que o assunto está longe de estar resolvido", afirma Christian Reed, CEO da Expertise.

O estudo fez ainda algumas proposições para os entrevistados, imaginando o que aconteceria se o aborto fosse legalizado. Para 56% dos entrevistados, se a prática fosse legalizada, haveria uma banalização, e algumas mulheres começariam a realizar abortos como método anticoncepcional.

Vale ressaltar, ainda, que diferentemente da lei em vigor nos Estados Unidos, por exemplo, aqui a maioria das pessoas (61%) acha que a decisão pela realização ou não do aborto deve ser da mãe e do pai, em conjunto. Para metade dos entrevistados, caso o aborto fosse legalizado no Brasil, a prática deveria ser realizada pelo SUS em apenas algumas situações, como em casos de riscos à saúde da mãe ou do bebê e em caso de estupro. Já para 26%, o SUS deveria assumir a prática independente da situação.

Últimas notícias

Comentários