Blog faz apologia ao estupro e vira alvo de investigação do Ministério Público

O site intitulado 'Tio Astolfo' era repleto de postagens que incentivavam o abuso sexual contra mulheres e foi deletado ao ser denunciado por internautas

por Marcelo Fraga 28/07/2015 18:43

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

CORREÇÃO:

Preencha todos os campos.
Internet/Reprodução
O blog 'Tio Astolfo' tinha um conteúdo totalmente machista e induzia os internautas à prática do estupro. As autoridades já estão investigando os responsáveis pelo conteúdo (foto: Internet/Reprodução)
Espaço na internet destinado a dicas sobre como estuprar mulheres. Assim era o blog "Tio Astolfo", que foi retirado do ar há pouco tempo. As postagens – todas elas incentivando o estupro – eram divulgadas em uma fanpage, no Facebook, com milhares de curtidas. O conteúdo criminoso repercutiu rapidamente, fazendo com que internautas denunciassem o blog e a página na rede social, ambos, consequentemente, foram deletados.

As denúncias ultrapassaram o ambiente virtual e chegaram à Polícia Federal e, também, ao Ministério Público. Os órgãos anunciaram, na terça (28 de julho), a abertura de um inquérito para apurar o caso.

O conteúdo do site "Tio Astolfo" era composto por textos que apoiavam diversas formas de violência contra a mulher, com foco no sexo sem consentimento. Além disso, imagens e até um vídeo eram utilizados com forma de reforçar a ideia passada pelos criadores da página, que ainda não foram identificados. Alguns dos textos diziam, entre outras coisas, que abusar de mulheres feministas "é questão de honra" e que "assediar menores de idade do sexo feminino não é pedofilia, pois elas vieram ao mundo 'pra' isso".

Machismo

Para Firmínia Rodrigues, do Movimento Mulheres em Luta, o blog "Tio Astolfo" é mais um exemplo de como a sociedade, em geral, ainda é machista. "Infelizmente, as pessoas acham normal tratar a mulher como um objeto. Quem cria e quem apoia essas atitudes está banalizando o estupro, que é um crime gravíssimo", analisa a ativista.

Existem vários sites na internet e publicações em redes sociais que fazem apologia ao crime. Por isso, os internautas estão se organizando em grupos, criados com o intuito de concentrar as denúncias contra este tipo de conteúdo. No caso do "Tio Astolfo", o grupo para denúncias possui quase 1,8 mil membros.

Firmínia Rodrigues acredita que esse é um caminho eficiente para coibir as práticas criminosas no ambiente virtual. "As pessoas devem, cada vez mais, denunciar esses sites e perfis para que todos saibam que é um comportamento errado", diz. "Além disso, a conscientização deve começar em casa e, sobretudo, na escola. As crianças devem aprender, desde cedo, o valor e o papel da mulher", completa.

Últimas notícias

Comentários