Ela tem 18 anos, é modelo e portadora da síndrome de Down

Conheça a bonita história da jovem americana que não encontra barreiras em sua condição, e vai até desfilar na badalada semana de moda de Nova Iorque

por João Paulo Martins 14/08/2015 13:56

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

CORREÇÃO:

Preencha todos os campos.
Instagram.com/madelinesmodelling_/Reprodução
Aos 18 anos, Madeline Stuart é portadora da síndrome de Down e trabalha como modelo, tendo sido convidada para participar da semana de moda de Nova Iorque (foto: Instagram.com/madelinesmodelling_/Reprodução)
"Eu sou uma modelo e espero que meu trabalho ajude a mudar a forma como a sociedade vê as pessoas com deficiência. A visibilidade cria consciência, aceitação e inclusão", diz a jovem modelo Madeline Stuart, em seu perfil no Facebook. Ela é natural de Brisbane, na Austrália, tem 18 anos e é portadora da síndrome de Down. Mas essa condição não a afastou do sonho de ser conhecida pelo trabalho nas passarelas e por figurar nas capas de revistas.

Em apenas um ano, período em que começou a chamar a atenção da mídia, Madeline foi convidada para estrelar campanhas de duas grifes de roupas. Além disso, a jovem australiana recebeu, há pouco tempo, uma notícia que deixaria qualquer modelo emocionada: foi convidada para participar da New York Fashion Week (NYFW, ou semana de moda de Nova Iorque) no dia 13 de setembro deste ano.

"Quando fomos convidadas para participar da NYFW, não fiquei surpresa. Não acho que alguma coisa ainda possa me surpreender. Ela [Madeline] está sendo chamada para fazer tantas coisas, que esperava que, algum dia, fosse convidada para participar do desfile de Nova Iorque. Espero que isto não pareça uma afirmação esnobe", diz Rosanne Stuart, mãe da jovem modelo, em entrevista à revista americana Cosmopolitan.

Instagram.com/madelinesmodelling_/Reprodução
Madeline, como explica a mãe, é uma adolescente como qualquer outra, e gosta muito de esportes, principalmente basquete, natação, dança e críquete (foto: Instagram.com/madelinesmodelling_/Reprodução)


Madeline, além de atuar como modelo, é bem ativa e adora esportes. Na verdade, ela se dedica à prática de exercícios durante seis dias da semana, e entre as atividades que mais gosta de fazer está o basquete, a natação, a dança e o críquete (esporte típico dos países de origem inglesa). Como sua própria mãe explica, ela é uma adolescente como qualquer outra, que curte sair com amigos e, nas horas vagas, ficar mexendo no tablet.

Na semana de moda de Nova Iorque, a jovem desfilará com o apoio da fundação Christopher Reeve, que é especializada no apoio a pessoas que sofreram lesões graves na coluna ou que possuem algum problema neurológico. Ela foi criada em 1982, mas depois alterou seu nome para homenagear o ator americano Christopher Reeve, o eterno Superman, que ficou tetraplégico após sofrer um acidente em 1995 (ele faleceu em 2004).

Com relação às grifes escolhidas por Madeline Stuart para desfilar, a mãe conta, em entrevista ao portal de notícias The Huffington Post, que leva em conta a oportunidade de ajudar alguém. "Nós queremos continuar trabalhando com pequenas empresas, com instituições de caridade ou start-ups, para que possamos continuar a ajudar as pessoas. Nós realmente acreditamos na inclusão, e esperamos que aqueles que escolhemos compactuem com nossos ideais", completa Rosanne.

Últimas notícias

Comentários