Dólar fecha acima de R$ 3,60 pela primeira vez desde 2003

Há 12 anos, a moeda americana fechou a R$ 3,662, no dia 27 de fevereiro

26/08/2015 08:55

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

CORREÇÃO:

Preencha todos os campos.
Pixabay
A última vez em que o dólar passou de R$ 3,60 foi em 27 de fevereiro de 2003, quando chegou a R$ 3,662 (foto: Pixabay)
Em um dia de turbulência no mercado financeiro, a moeda norte-americana voltou a subir e ultrapassou a barreira de R$ 3,60. O dólar comercial encerrou esta terça-feira, dia 25 de agosto, vendido a R$ 3,608, com alta de R$ 0,056 (1,57%). A cotação fechou no maior valor desde 27 de fevereiro de 2003 (R$ 3,662).

O dólar chegou a abrir em queda. Na mínima do dia, por volta das 10h, a cotação chegou a atingir R$ 3,522. O câmbio, no entanto, inverteu a trajetória e subiu fortemente nas horas seguintes. Por volta das 16h40, passou de R$ 3,60, encerrando na máxima do dia. A a moeda norte-americana acumula alta de 5,3% em agosto e de 35,7% em 2015.

No início do dia, o mercado reagiu positivamente às medidas de estímulo anunciadas pelo governo da China. O banco central do país reduziu os juros e liberou o compulsório – parcela que os bancos são obrigados a deixar em reserva – para estimular a segunda maior economia do planeta. No entanto, nas últimas horas do dia, os investidores internacionais voltaram a demonstrar pessimismo, com a bolsa de Nova York revertendo os ganhos das horas anteriores. No Brasil, a Bovespa fechou em alta de 0,47% com 44.544,86 pontos. O mesmo ocorreu com as bolsas do Reino Unido  (+3,09%) e da França (+4,14%). A Bolsa de Tóquio, no entanto, o índice Nikkei registrou queda de 3,96%.

Nas últimas semanas, o mercado financeiro global tem enfrentado turbulências provocadas pela queda das ações de empresas chinesas. Desde o início de junho, a Bolsa de Xangai perdeu 42,6% do valor. Nos últimos dias, a queda intensificou-se, provocando instabilidade nos mercados globais. Há duas semanas, o Banco Central da China desvalorizou o yuan (moeda do país) para tornar as exportações mais competitivas.

(com Agência Brasil e Agência Lusa)

Últimas notícias

Comentários