Sabia que os raios também ocorrem em outros planetas?

Segundo o Inpe, basta a existência de partículas diferentes e com propriedades distintas, com um bom espaçamento entre elas, para que o relâmpago seja possível

por Encontro Digital 08/09/2015 13:02

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

CORREÇÃO:

Preencha todos os campos.
Nasa/Divulgação
Em 2004, a nave de exploração espacial Cassini flagrou a ocorrência de raios na atmosfera de Saturno. O ponto azul na imagem é o momento em que foi registrado o relâmpago (foto: Nasa/Divulgação)
Naves espaciais têm mostrado que a Terra não é o único planeta onde ocorrem relâmpagos. Em 1979 a nave Voyager 2 observou relâmpagos em Júpiter e em 2004 a nave Cassini observou relâmpagos em Saturno. Em ambos os casos, os relâmpagos parecem ser bem mais intensos do que aqueles na Terra. Há evidências de que existam relâmpagos em Urano e Netuno.

Segundo o Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (Inpe), aparentemente, duas condições devem ser satisfeitas para que ocorram relâmpagos em outras atmosferas planetárias: a existência de partículas de diferentes tipos ou com diferentes propriedades (como temperatura), de modo que cargas opostas possam ser acumuladas em diferentes partículas; e significante separação espacial entre estas partículas carregadas.

Outros locais no sistema solar podem conter relâmpagos, tais como Vênus e os satélites Io (o mais interno de Júpiter) e Tritão (o maior satélite de Saturno), embora ainda não existam evidências conclusivas. Como mostra o Inpe, especula-se também que possam ter ocorrido relâmpagos no passado remoto de Marte, associado às erupções vulcânicas. O instituto explica que estudar dos relâmpagos em atmosferas radicalmente diferentes, como destes planetas, pode nos ajudar a compreender melhor as consequências de sua existência na Terra.

(com Portal EBC e Inpe)

Últimas notícias

Comentários