Pesquisa mostra que gatos não se interessam por humanos pela segurança

Na verdade, os felinos teriam interesse maior no fornecimento de comida, e não ligam se os donos não estão por perto

por João Paulo Martins 08/09/2015 14:15

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

CORREÇÃO:

Preencha todos os campos.
Pixabay
Ao contrário do que muitos pensam, os gatos não precisam dos donos para se sentirem seguros, segundo pesquisa inglesa. Eles querem apenas comer (foto: Pixabay)
Será que seu gato realmente se preocupa com você? Talvez não muito, segundo um estudo divulgado recentemente. Pesquisadores descobriram que os felinos não estão interessados em se sentir seguros, como acontece com os cães, e sim, estão ligados à fonte de comida garantida.

"As relações homem-animal podem ser construídas de diferentes formas. Para os cães, é notório que segurança e proteção são importantes, mas isso não se repete quando se trata de gatos", diz o professor Daniel Mills, especializado em Medicina Veterinária comportamental, da Universidade de Lincoln, na Inglaterra, e coordenador da pesquisa, em entrevista ao portal de notícias The Huffington Post. "Parece que os felinos são mais focados nos alimentos. Tenho certeza de que você já ouviu falar em um gato que se mudou para um determinado bairro quando começou a ser alimentado", completa o cientista.

O estudo liderado por Mills, publicado no periódico científico Plos One em 2 de setembro de 2015, levou em conta um clássico experimento psicológico conhecido como "situação estranha". Ele foi desenvolvido pela psicóloga Mary Ainsworth (1913-1999) e funciona da seguinte forma: um bebê ou criança pequena é colocada sozinha num quarto. Em seguida, uma pessoa estranha entra. Isso serve para se definir o quanto a criança é ligada à mãe.

Levando esse experimento em conta, os cientistas colocaram 20 gatos de estimação num cômodo que lhes era desconhecido e, em seguida, analisaram como respondiam quando estavam sozinhos ou quando havia a presença de um estranho ou de seus donos no local. Os felinos que foram selecionados para o teste, segundo os donos, tinham um forte vínculo com eles.

O resultado do experimento mostrou que a vocalização dos gatos (ou os miados) era maior quando deixados com estranhos, mas isso não representou um vínculo maior com os donos. "Essa vocalização pode ser apenas um sinal de frustração ou de resposta automática, já que nenhum sinal de ligação com o dono pôde ser percebida. Em situações adversas, indivíduos com vínculos tendem a querer ficar junto de seus protetores, mostrando sinais de estresse quando são separados, e de prazer quando voltam a ter a companhia de seus 'amados'. Mas isso não foi observado durante nossa pesquisa", explica Daniel Mills, em artigo sobre o estudo.

Últimas notícias

Comentários