Especialistas dizem que crianças devem ficar longe da TV

Essa discussão é polêmica, já que envolve questões ligadas à área da saúde e também do comportamento

por Encontro Digital 11/09/2015 15:25

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

CORREÇÃO:

Preencha todos os campos.
Pixabay
Além da opinião de especialistas, que são contrários ao tempo gasto vendo TV, um estudo feito nos Estados Unidos diz que o aparelho 'vicia' (foto: Pixabay)
É comum ouvir que as crianças e os adolescentes estão trocando a televisão pela internet. No entanto, uma pesquisa recente mostra que elas estão ficando também mais tempo diante dos televisores – que, aliás, estão cada vez maiores. Nos últimos 10 anos, os jovens ficaram 52 minutos a mais assistindo programas televisivos.

Segundo Isabella Henriques, diretora do Instituto Alana, de defesa dos direitos da criança, em discussão realizada pela TV Brasil, diz que esse hábito é prejudicial especialmente para as crianças muito pequenas. "Crianças de até dois anos de idade não deveriam ser expostas à televisão de qualquer tipo, qualquer tipo de tela", recomenda a ativista.

Quem também concorda que as crianças devem ser afastadas dos televisores é o médico endocrinologista Fernando Spagnuolo. Ao expor suas opiniões na TV Brasil, comentou os prejuízos físicos dessa exposição. "Se a gente for submeter a crianças a tantas horas de televisão, o que que nós estamos fazendo né? Criando males inúmeros, desde o cognitivo, até osteomusculares e metabólicos", diz o médico.

Já Ana Merces Bahia Bock, psicóloga e professora de psicologia da PUC de São Paulo, acha que o diálogo deve ser diferente, e a mídia deve passar a ter um uso pedagógico. "A escola deveria incluir a televisão como um instrumento educativo, podendo refletir com as crianças", comenta.

Além de possíveis problemas físicos causados pela longa exposição à tela da TV, como a obesidade, gerada pelo ostracismo, e deficiências visuais, causadas pela fixação do olhar, uma pesquisa realizada pelos americanos Robert Kubey, do Centro de Estudos de Mídia da Universidade Rutgers, e Mihaly Csikszentmihalyi, professor de psicologia da Universidade de Claremont, chegou à conclusão de que a televisão vicia.

O estudo analisou as ondas cerebrais, a resistência da pele e os batimentos cardíacos dos voluntários submetidos a sessões de TV. Segundo os cientistas, no momento em que se assiste aos programas da televisão, é possível ficar bem relaxado. Porém, quando o aparelho é desligado, essa sensação some, e deixa a pessoa passiva e com a atenção reduzida.

(com Portal EBC e TV Brasil)

Últimas notícias

Comentários