Quanto a mulher pode engordar durante a gestação?

Entenda como é possível chegar a um valor considerado saudável, levando em conta o Índice de Massa Corporal (IMC)

por Da redação 14/09/2015 13:37

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

CORREÇÃO:

Preencha todos os campos.
Pixabay
Independentemente do peso ideal durante a gravidez, a Fundação Maria Cecília Souto Vidigal recomenda exercícios físicos para a futura mamãe (foto: Pixabay)
A questão do peso ideal durante a gestação é um dos pontos que afligem as futuras mamães. Além de ser um período de mais ansiedade, é normal também que se tenha mais apetite. Mas, qual é a melhor forma de controlar tudo isso já que o excesso de peso pode prejudicar mãe e bebê?

Segundo a Fundação Maria Cecília Souto Vidigal, uma maneira de se monitorar é avaliar o IMC (Índice de Massa Corporal) logo no início da gestação, relacionando-o ao quanto é recomendável engordar até os nove meses. Essa comparação é uma sugestão do Instituto de Medicina dos Estados Unidos.

Para calcular o IMC, é preciso dividir o peso (em quilogramas) pela altura (em metros) ao quadrado. Como mostra a Fundação Maria Cecília Souto Vidigal, para mulheres com peso adequado, o IMC normal fica entre os índices 18,5 e 24,9. Isso significa que elas podem ganhar entre 11,5 e 16 kg até o final da gravidez. Mulheres abaixo do peso, com IMC menor que 18,5, podem ganhar de 12,5 a 18 kg. Quem têm sobrepeso (IMC de 25 a 29,9), tem de ficar entre 7 e 11,5 kg. Porém, quando a mulher é obesa (grau I, IMC de 30 a 34,9; grau II de 35 a 39,9; grau III, acima de 40), não existe uma faixa definida, sendo essa uma gestação que inspira cuidados muito especiais.

No entanto, cada gestante é única e só o especialista que a acompanha pode definir qual peso é ideal para ela.

A atividade física durante a gravidez é uma das maneiras de controlar o peso. Mesmo mulheres antes sedentárias, na gestação devem praticar exercícios leves, como caminhadas e hidroginástica, desde que não haja qualquer contraindicação clínica. Se a futura mamãe já praticava atividade física antes da gestação, como musculação, ela pode continuar com os exercícios, mas tomando cuidado com alguns movimentos.

As atividades precisam ser acompanhadas de muita hidratação e realizadas em períodos do dia com temperaturas mais amenas. Caso contrário, a temperatura central (de dentro do corpo) aumenta e pode prejudicar o feto.

Também é importante respeitar as mudanças da mulher durante a gestação, por conta do crescimento do feto, que alteram o centro de gravidade e os batimentos cardíacos. A progesterona, que aumenta muito na gestação, deixa os tendões e ligamentos mais frouxos, com mais chances de torções, rupturas e luxações.

(com Portal EBC e Fundação Maria Cecília Souto Vidigal)

Últimas notícias

Comentários