Montadora admite adulteração de mais de 11 milhões de carros

Segundo a Volkswagen, motores a diesel teriam um sistema digital para emissão de poluentes acima dos limites estipulados pela Agência de Proteção do Meio Ambiente

por Da redação 22/09/2015 15:59

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

CORREÇÃO:

Preencha todos os campos.
Volkswagen/Divulgação
Veículos da Volkswagen, como a caminhonete Amarok, estavam com um sistema que burlava o limite de emissão de poluentes (foto: Volkswagen/Divulgação)
O grupo alemão Volkswagen anunciou nesta terça, dia 22 de setembro, que mais de 11 milhões de carros a diesel em todo o mundo foram equipados com um tipo de motor que poderia distorcer os dados de emissão de gases.

Em comunicado, o grupo faz questão de esclarecer que "os veículos novos do grupo Volkswagen com motores diesel UE 6, atualmente disponíveis na União Europeia, estão em conformidade com os requisitos legais e as normas ambientais", mas que os veículos "com motores tipo EA 189, envolvendo cerca de 11 milhões de automóveis em todo o mundo", poderão ter discrepâncias nos dados das emissões.

A Volkswagen acrescenta que trabalha "intensamente para eliminar as discrepâncias através de medidas técnicas", estando em contato com as autoridades competentes, principalmente da KBA (Autoridade Federal Alemã de Transportes).

A Agência de Proteção do Meio Ambiente (EPA) dos Estados Unidos acusou, na sexta-feira (18),  a empresa de adulterar o desempenho dos motores em termos de emissões de gases poluentes por meio de um software incorporado no veículo. A alteração pode resultar em multa de até US$ 18 bilhões (cerca de 15,9 bilhões de euros ao câmbio de hoje).

O presidente do grupo Volkswagen, Martin Winterkorn, reconheceu que a empresa adulterou os dados e lamentou no domingo, dia 20 de setembro, ter "quebrado a confiança" dos clientes e do público em geral, depois das acusações das autoridades norte-americanas.

A marca suspendeu as vendas dos modelos de carros envolvidos, que eram o foco dos esforços de Winterkorn para recuperar mercado nos Estados Unidos. A estratégia da Volkswagen para o mercado norte-americano passava por vender carros a diesel com motores poderosos e poucas emissões de gases – uma forma de ganhar cota, já que no ano passado as vendas nos Estados Unidos tinham caído 10% para 366.970 unidades.

No entanto, a Volkswagen não especificou quantos modelos estarão afetados pela decisão, mas alguns dos veículos que incluem esse motor são o Golf, Jetta, Beetle da Volkswagen e o Audi A3.

Alemanha

A chanceler alemã, Angela Merkel, pediu nesta terça-feira à Volkswagen que garanta "transparência total" no caso. "Devido à situação difícil, é essencial agora garantir transparência total para esclarecer o assunto", afirmou a chanceler numa coletiva de imprensa em Berlim, ao acrescentar que o ministro dos Transportes alemão, Alexander Dobrindt, tem estado em contato com a empresa. "Espero que os fatos sejam esclarecidos o mais depressa possível", afirmou.

Coreia do Sul

Representantes da Volkswagen foram convocados pelo governo sul-coreano para discutir os testes de emissão de poluentes depois de a fabricante ter sido acusada de manipular os resultados. “Chamamos os representantes da Volkswagen e os seus engenheiros ao ministério para uma reunião na quarta-feira”, disse o vice-ministro, Park Pan-Kyu. “Vamos começar a fazer testes, o mais tardar, no próximo mês e anunciar os resultados no final de novembro”, acrescentou.

Segundo Park, é ainda muito cedo para dizer que tipo de medidas punitivas o governo pode aplicar à empresa. Aproximadamente, 59 mil desses modelos estão atualmente nas estradas sul-coreanas, indicou Park.

(com Agência Brasil e Agência Lusa)

Últimas notícias

Comentários