Escavação em fazenda americana descobre mamute que teria sido caçado por humanos

A descoberta foi liderada por um professor da Universidade de Michigan, nos Estados Unidos, e trata-se de um animal que teria vivido entre 11,7 e 15 mil anos na região de Ann Arbor

por João Paulo Martins 06/10/2015 14:48

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

CORREÇÃO:

Preencha todos os campos.
Daryl Marshke/Michigan Photography/Reprodução
Entre os ossos de mamute achados na escavação feita numa fazenda nos Estados Unidos estão duas grandes presas (foto: Daryl Marshke/Michigan Photography/Reprodução)
Uma escavação descompromissada realizada numa fazenda na região de Ann Arbor, que fica no estado de Michigan, nos Estados Unidos, resultou em uma grande descoberta: foram achados ossos equivalentes a 20% de um mamute que teria vivido entre 11,7 e 15 mil anos atrás. Além dos fósseis, os pesquisadores também encontraram indícios de atividade humana, o que pode ajudar a entender melhor o cotidiano dos povos primitivos das Américas.

A equipe da Universidade de Michigan, responsável pela descoberta, foi liderada pelo paleontólogo e professor Daniel Fisher. Entre os fósseis de mamute descobertos estavam um crânio, duas presas, várias vértebras e costelas, uma pélvis e duas escápulas. Para o cientista, esse animal teria sido caçado por humanos que viviam na região. "Tudo indica que os humanos que viviam aqui devem ter cortado e escondido os pedaços de carne para utilizarem mais tarde", diz Fisher, que também é diretor do museu de Paleontologia da Universidade de Michigan.

Mamutes e mastodontes – outra espécie primitiva parente dos elefantes – eram comuns na América do Norte e deixaram de existir por volta de 11,7 mil anos atrás. Com o trabalho que vem sendo feito pelos pesquisadores, cerca de 300 mastodontes e 30 mamutes já foram escavados e encontrados no estado de Michigan.

Segundo o paleontólogo que liderou a nova descoberta, nunca haviam sido encontrados fósseis de mamute tão completos quanto os que foram desenterrados na fazenda da região de Ann Arbor. E o mais curioso é que, desta vez, os ossos estavam ligados à atividade humana. Como explica Daniel Fisher, não é a primeira vez que encontram restos de mamutes colocados em seixos, indicando que os ancestrais dos americanos estariam estocando o alimento para consumo posterior.

Outra prova que vincula os fósseis à ação do homem primitivo foi encontrada também na escavação feita nessa fazenda. Os pesquisadores acharam um fragmento de pedra que teria sido usado para cortar a carne e separar as partes do animal. "As marcas deixadas nas vértebras mostram que o mamute não morreu de causas naturais, já que os cortes foram feitos de forma anatômica", completa Fisher.

(com Universidade de Michigan)

Daryl Marshke/Michigan Photography/Reprodução
(foto: Daryl Marshke/Michigan Photography/Reprodução)

Últimas notícias

Comentários