Juiz espanhol quer condenar Lionel Messi e o pai por sonegação fiscal

Os dois são acusados de crimes contra o fisco espanhol, estimados em 4,1 milhões de euros (R$ 15,7 milhões), e, se forem considerados culpados, podem pegar até 22 meses de prisão

por João Paulo Martins 08/10/2015 13:23

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

CORREÇÃO:

Preencha todos os campos.
Christopher Johnson/Flickr Commons/Reprodução
Apesar de o advogado de Messi dizer que o jogador não sabia dos crimes fiscais cometidos pelo pai, o atacante terá de sentar no banco dos réus (foto: Christopher Johnson/Flickr Commons/Reprodução)
Não é só o craque Neymar que está envolvido em problemas de sonegação fiscal. O capitão da Seleção Argentina e atacante do Barcelona, Lionel Messi, juntamente com seu pai, Jorge, foram acusados, nesta quarta, dia 8 de outubro, de três crimes contra as finanças públicas da Espanha. Caso sejam considerados culpados, podem receber uma pena de até 22 meses de prisão.

Messi, que será julgado por um tribunal penal da cidade de Barcelona, deve sentar no banco dos réus junto com o pai, embora o advogado do craque argentino tenha pedido a revisão da acusação contra o jogador, que, na opinião do bacharel em Direito, não tinha conhecimento da fraude perpetrada pelo familiar.

Mesmo assim, o juiz manteve Messi como réu, porque o procurador responsável pelo caso considera o melhor jogador do mundo "co-autor" dos três crimes fiscais associados ao seu pai, entrre 2007 e 2009, e que estão avaliados em 4,1 milhões de euros (R$ 15,7 milhões), segundo informação da agência de notícias espanhola EFE.

O craque do Barcelona está se recuperando de uma lesão nos ligamentos do joelho esquerdo, que o impediu de ser chamado pela Seleção Argentina para os dois primeiros jogos das eliminatórias sul-americanas para a Copa do Mundo de 2018, na Rússia. A equipe vai enfrentar o Equador e o Paraguai.

(com Agência Télam)

Últimas notícias

Comentários