Entenda a diferença entre os pesadelos e o terror noturno das crianças

Especialista dá dicas para que os pais possam orientar os filhos de forma adequada em relação a esses dois problemas relacionados ao sono

por Da redação 09/10/2015 08:41

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

CORREÇÃO:

Preencha todos os campos.
Healthylearningpaths.org/Reprodução
Segundo o especialista, tanto no caso dos pesadelos quanto do terror noturno, os pais devem mostrar tranquilidade e discutir o assunto com a criança (foto: Healthylearningpaths.org/Reprodução)
Após um texto na internet ganhar grande popularidade ao perguntar "Quanto tempo realmente precisamos dormir?", feito pela Fundação Nacional do Sono dos Estados Unidos, especialistas se debruçaram sobre o tema e ampliaram a discussão sobre o assunto, especialmente em relação às crianças.

Os pais são confrontados com muitos desafios quando se trata do sono dos filhos e poucas situações são tão confusas ou angustiantes como quando ocorre um pesadelo aterrorizante ou, pior ainda, uma crise de terror noturno. "Pesadelos e terrores noturnos são diferentes tipos de distúrbios do sono. Vale a pena diferenciar cada um desses problemas e saber como os pais podem ajudar seus filhos a lidarem com eles", afirma o pediatra e homeopata Moises Chencinski.

Um pesadelo é um sonho aflitivo, vívido, em que a criança experimenta o medo, ansiedade ou outras emoções fortes. Pesadelos normalmente forçam a criança a acordar. Um tema recorrente geralmente é abordado, e, muitas vezes, as crianças se lembram dos seus pesadelos. Eles ocorrem mais frequentemente durante o sono REM, de acordo com a Fundação Nacional do Sono.

O especialista fala como proceder em casos de um sonho aterrorizante: "Primeiro, abrace seu filho e incentive-o a discutir o pesadelo com você. Algumas crianças ansiosamente vão relacionar todos os detalhes, e você pode ser solidário com afirmações como: 'Eu sei quão assustador deve ter sido, mas...'. Outras abordagens positivas incluem a possibilidade de o pai 'falar' com o personagem do sonho assustador ou criar um novo final para o pesadelo. Injetar humor, fazer uma piada sobre bolinhas nas roupas íntimas do personagem assustador, funciona bem com algumas crianças. A ideia é conversar com o filho até que ele se sinta mais seguro e menos assustado", orienta o pediatra.

Se a criança está com problemas para verbalizar o sonho, na manhã seguinte, o pai pode pedir que ela desenhe as imagens que viu no pesadelo e, em seguida, discuta o assunto com ele. "Crianças vítimas de pesadelos geralmente não precisam de tratamento. No entanto, se o seu filho está sofrendo com pesadelos recorrentes ou muito perturbadores, fale com seu pediatra", recomenda o médico.

Terror noturno

Crises de terror noturno são diferentes de pesadelos e podem ser mais alarmantes. Ao contrário das crianças que sofrem com sonhos aterrorizantes, a criança que tem um episódio de terror noturno permanece em um estado de sono. Além disso, esse fenômeno, muitas vezes, é combinado com sonambulismo, segundo o especialista. Um episódio de terror noturno geralmente dura de segundos a alguns minutos, mas pode durar até uma hora. Eles ocorrem no início da noite durante o sono não-REM, de acordo com a Fundação Nacional do Sono.

"Sintomas de terror noturno podem incluir excitação, agitação, pupilas dilatadas, sudorese e aumento da pressão arterial. Os olhos do seu filho podem estar abertos durante o episódio, mas, mesmo assim, ele não está acordado. Às vezes, uma criança grita e parece aterrorizada por vários minutos até que relaxe e volte a dormir", explica Moises Chencinski.

Segundo o médico, "se o filho está em meio a uma crise de terror noturno, fique calmo e não tente acordar a criança. Ela está em um sono profundo. Espere, a crise deve passar em poucos minutos e ele vai voltar a ter um sono tranquilo. O problema pode ser desencadeado por estresse, alimentação ou atividades realizadas em um determinado dia. É realmente importante manter um registro do que acontece no dia-a-dia de seu filho. Se você não consegue encontrar a causa raiz, ou se as crises de terror noturno levam a comportamentos perigosos ou persistirem para além da adolescência, consulte o seu pediatra".

Aqui estão algumas dicas de "higiene do sono" para crianças:

  • "Não deixe que o seu filho caia de cansaço para, então, dormir. Estabeleça uma rotina de tempo de sono [hora de dormir e hora de acordar] e a mantenha, mesmo nos finais de semana. Verifique se o seu filho está dormindo o suficiente", orienta Chencinski

  • Inicie uma rotina calmante cerca de uma hora antes de ele deitar. "A rotina deve incluir atividades relaxantes, como ouvir música suave, ler e/ou um banho. Evite deixar a criança usar dispositivos eletrônicos durante este tempo, e tire-os do quarto da criança para evitar a tentação"

  • Mantenha o quarto fresco e confortável

  • "Não se deite novamente com seu filho depois de terminar sua rotina de preparação para dormir. Cubra-o, beije-o, apague a luz, vá embora. Sua atitude calma vai garantir que seu filho se sinta seguro"

  • "Pesadelos, terrores noturnos ou qualquer outro distúrbio do sono podem ser preocupantes. Mas os pais que exibem uma atitude calma e confiante realmente tranquilizam a criança e as fazem sentir seguras. Se o seu filho está enfrentando algum distúrbio do sono, tente algumas das estratégias que abordamos aqui. Se os problemas persistirem, converse com seu pediatra e considere falar com um terapeuta também", orienta o pediatra

Últimas notícias

Comentários