Será que Viagra ajuda na adaptação à altitude elevada?

Jogadores do Independiente da Argentina usam o remédio para enfrentar a equipe do Santa Fé, nos 2,6 mil metros de altitude de Bogotá, na Colômbia

por Vinícius Andrade 29/10/2015 08:29

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

CORREÇÃO:

Preencha todos os campos.
Pixabay
Curiosamente, os jogadores do time argentino Independiente estão usando Viagra para enfrentar os 2,6 mil metros de altitude da cidade de Bogotá (foto: Pixabay)
Nesta quinta-feira, dia 29 de outubro, os jogadores do Independiente da Argentina terão um aliado curioso para o jogo contra o Santa Fé, em Bogotá, na Colômbia, pelas quartas de final da Copa Sul-Americana. Os atletas entrarão em campo sob efeito do Viagra (sildenafil), para estimular a circulação pulmonar na altitude de 2,6 mil metros. Será que o medicamento pode surtir algum efeito negativo?

Segundo o médico Francesco Botelho, presidente da Sociedade Brasileira de Angiologia e Circulação Vascular de Minas Gerais, o Viagra era utilizado, inicialmente, para tratar hipertensão pulmonar. Posteriormente, descobriu-se que ele servia para disfunção erétil.

"O risco maior para os jogadores é de terem uma hipotensão, porque o remédio causa uma vasodilatação", explica o angiologista. Ainda conforme o médico, não há evidência científica de que o uso do medicamento melhore o desempenho cardiopulmonar dos atletas.

Em entrevista a uma rádio argentina, o médico do Independiente deu a seguinte justificativa: "Em Bogotá há 2,6 mil m de altitude. Faremos um tratamento com sildenafil [Viagra] um dia antes do jogo, e também na data da partida. O sildenafil ajuda a circulação pulmonar. Ao chegar mais sangue nos pulmões, o jogador se adapta melhor à altitude", diz Luis Chiaradía.

Sem risco?

O urologista Antônio Peixoto Cunha, presidente da Sociedade Brasileira de Urologia de Minas Gerais, não vê problema em usar o Viagra casualmente, mesmo que não seja para tratar a disfunção erétil. Mas, alerta para o uso exagerado do remédio. "Os jovens que usam o medicamento de forma indiscriminada criam uma dependência psicológica. Se eles tomarem qualquer coisa azul vai funcionar também", afirma o especialista.

De acordo com o médico do clube argentino, os jogadores tomaram 50 miligramas de Viagra um dia antes do jogo e receberam 50 miligramas no dia da partida.

Últimas notícias

Comentários