Cometa libera o equivalente a 500 garrafas de vinho por segundo no espaço

A descoberta pode ajudar a entender como moléculas complexas surgiram na Terra e ajudaram a formar os seres vivos

por João Paulo Martins 29/10/2015 12:19

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

CORREÇÃO:

Preencha todos os campos.
Dieter Willasch/Apod.nasa.gov/Reprodução
O cometa Lovejoy é o primeiro a ser identificado liberando álcool etílico e glicoaldeído no universo (foto: Dieter Willasch/Apod.nasa.gov/Reprodução)
Um curiosa descoberta está chamando a atenção de cientistas em todo o mundo. O cometa Lovejoy, observado pela primeira vez em 27 de novembro de 2011, não é apenas um pedaço de rocha voando pelo espaço: ele libera álcool, o mesmo usado nas bebidas, e açúcar, do tipo glicoaldeído.

Segundo o estudo publicado na sexta, dia 23 de outubro, no jornal científico Science Advances, o cometa é capaz de liberar o equivalente a nada menos que 500 garrafas de vinho por segundo. "Essa descoberta mostra que a química de um cometa é muito mais complexa do que se imaginava", diz Stefanie Milam, astroquímica da Nasa e co-autora da pesquisa, em entrevista ao portal de notícias The Huffington Post.

Apesar de os cientistas já terem encontrado glicoaldeído e etanol anteriormente em nuvens no espaço, é a primeira vez que o álcool etílico é descoberto num cometa. Isso pode ajudar a entender como estruturas moleculares complexas, como açúcares e aminoácidos, foram formadas durante a evolução da Terra.

"Se for verdade, mostra que a vida não teria surgido apenas em forma de moléculas simples, como água, monóxido de carbono ou nitrogênio. É possível entender como e onde os açúcares se formam, bem como estruturas orgânicas mais complexas, como aminoácidos, que são construtores de proteínas ou núcleobases, que compõem nosso DNA", explica Stefanie Milam, em comunicado à imprensa.

A descoberta foi feita em janeiro desde ano, quando o cometa Lovejoy estava no ponto mais próximo do Sol em sua órbita, eliminando, por segundo, cerca de 20 toneladas de água com açúcar e álcool, o que formava nuvens de vapor no espaço. Os cientistas, por meio de um telescópio de 30 m em Pico Veleta, na Espanha, analisaram, então, as moléculas presentes no vapor. Foram encontrados 21 elementos diferentes, incluindo o álcool etílico e o glicoaldeído.

Últimas notícias

Comentários