Astrônomo teria prova da existência de outra dimensão em nosso universo

A teoria apresentada pelo pesquisador é de que o espaço se expande em forma de bolhas

por João Paulo Martins 06/11/2015 11:36

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

CORREÇÃO:

Preencha todos os campos.
New-universe.org/Reprodução
A análise da radiação cósmica de fundo em micro-ondas costuma mostrar apenas ruídos. Por isso, a descoberta do brilho poderia confirmar a existência de múltiplos universos (foto: New-universe.org/Reprodução)
A possível existência de outros universos além do nosso não é uma ideia nova, mas que esbarra na rejeição de inúmeros cientistas. Agora, isso pode mudar. O astrofísico Ranga-Ram Chary, diretor de projetos do U.S. Planck Data Center, que fica na Califórnia (EUA), descobriu um "brilho misterioso" ao mapear a radiação cósmica de fundo em micro-ondas, que já foi conhecida como a luz que restou do Big Bang e que é referente a centenas de milhares de anos após a explosão.

Normamente, a análise dessa radiação teria de resultar apenas em "ruídos". Mas, para surpresa do astrofísico, ele encontrou pontos de luz 4,5 mil vezes mais brilhantes do que deveriam ser. Chary concluiu que esse brilho seria o resultado do "vazamento" de outro universo ou que ele teria colidido com o nosso. A descoberta validaria a hipótese de que o nosso mundo é apenas uma "'bolha' em meio a uma 'super-bolha' que se infla infinitamente", diz Ranga-Ram no estudo publicado em setembro deste ano no periódico científico Astrophysical Journal.

Cosmologistas já especulam sobre a possibilidade da existência de múltiplos universos há anos, mas nunca se conseguiu comprovar essa teoria. A pesquisa de Chary é importante porque pode levar credibilidade à hipótese da inflação cósmica – noção de que o universo começou a inflar logo após o Big Bang –, que teria criado múltiplas dimensões.

Apesar da descoberta, o astrofíco lembra que ainda é preciso uma prova irrefutável para se comprovar a teoria. Isso porque existe a possibilidade de que o brilho descoberto não passe de algo já conhecido.

(com The Huffington Post)

Últimas notícias

Comentários