Atletismo da Rússia pode ficar de fora da Rio 2016

Agência Mundial Antidopagem quer barrar a participação de atletas russos nos Jogos Olímpicos do ano que vem, após denúncia de que os dopings do atletismo russo eram 'mascarados'

por Da redação 10/11/2015 18:10

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

CORREÇÃO:

Preencha todos os campos.
Russian Athletics/Reprodução
Segundo a Agência Mundial Antidopagem, muitos esportistas russos do atletismo eram até 'obrigados' a usar doping, mas seus exames eram 'manipulados' (foto: Russian Athletics/Reprodução)
A Agência Mundial Antidopagem (WADA) recomendou nesta terça, dia 9 de novembro, que a equipe de atletismo da Rússia fique de fora das Olimpíadas de 2016 no Rio de Janeiro. O pedido surgiu após divulgação de relatório de uma Comissão Independente sobre Doping no Esporte (criada na própria WADA) que aponta que há ações de doping generalizado no atletismo do país.

Além do pedido de exclusão da Federação de Atletismo da Rússia da lista de países da Federação Internacional de Atletismo, a WADA também pediu que o Laboratório de Moscou e a Agência Russa Antidopagem sejam banidos da lista de credenciadas da Agência Antidopagem.

O presidente da WADA, Craig Reedie, disse que a prática ainda é atual no esporte russo. "O relatório da Comissão Independente contém uma série de descobertas que assustaria atletas e fãs de esportes em todo o mundo. Certamente muitas questões que destacam deficiências muito atuais com o sistema antidoping na Rússia", diz.

A comissão verificou também que a prática de doping tinha sido perpetuada, em partes, pelas equipes de apoio a atletas russos. A comissão também citou um nível de influência do estado, embora também aponte que a não era apenas a Rússia e o atletismo do país que planejavam as ações de doping sistemático.

Reedie considera a divulgação do relatório como um passo importante para que se tenha "um esporte limpo": "Embora as informações sejam profundamente perturbadoras, a investigação é extremamente positiva para o atleta limpo, já que contém recomendações importantes sobre ações que devem ser tomadas para garantir o funcionamento de programas de antidopagem".

A comissão que divulgou o relatório foi criada em dezembro de 2014 após denúncias de práticas sistemáticas de dopagem no esporte na Rússia. O relatório possui nada menos que 300 páginas.

(com Portal EBC)

Últimas notícias

Comentários