Descoberta da tumba de Tutankamon já pode ser vista em fotos colorizadas

O grande achado do início do século XX, obra do arqueologista inglês Howard Carter, ficou ainda mais impressionante quando ganhou cores vivas

por João Paulo Martins 26/11/2015 09:37

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

CORREÇÃO:

Preencha todos os campos.
Harry Burton/The Griffith Institute - Oxford/Reprodução
O arqueologista Howard Carter ficou impressionado com as riquezas artísticas encontradas na tumba do rei Tutankamon, no Egito (foto: Harry Burton/The Griffith Institute - Oxford/Reprodução)
Em 1907, o egiptólogo e arqueologista inglês Howard Carter foi contratado pelo conde George Herbert para realizar uma expedição até o Vale dos Reis, no Egito. Porém, o pesquisador ficou anos vasculhando as areias sem encontrar nada de especial. Então, em 1922, Hebert avisou Carter que financiaria apenas mais um ano de escavações. Com isso, o arqueologista inglês voltou a um local em que a escavação estava abandonada, e começou a cavar desesperadamente. Para sua surpresa e deslumbramento de todo o mundo, no dia 26 de novembro desse mesmo ano, acompanhado de seu mecenas, ele entrou na tumba do rei Tutankamon, que governou o Egito entre 1332 e 1323 antes de Cristo.

"No primeiro momento, não vi nada, pois o vento quente que saía da tumba fez a chama da vela tremular. Mas, conforme meus olhos se acostumavam à escuridão, os detalhes do ambiente começaram a surgir da poeira: estranhos animais, estátuas e ouro. Em cada canto havia o brilho do ouro", diz Howard Carter em trecho de seu livro O Caminho de Tutankamon.

Mesmo com evidências de que o local de sepultamento de um dos mais importantes faraós egípcios teria sido violado ao menos duas vezes por ladrões, no passado, o cenário ainda se encontrava íntegro e praticamente intocado. A tumba tinha inúmeros artefatos de alto valor histórico, incluindo o sarófago de Tutankamon, que, até hoje, é considerado o mais bem trabalhado do Egito antigo, uma verdadeira obra de arte feita em ouro e pedras preciosas.

Após 93 anos do registro histórico feito pelo fotógrafo inglês Harry Burton, a empresa Dynamichrome decidiu colorizar as imagens da abertura da tumba do famoso faraó especialmente para a exposição A Descoberta do Rei Tut, que foi aberta em Nova Iorque no dia 21 de novembro deste ano. Confira como são impresisonantes as fotos quase centenárias:

Últimas notícias

Comentários