Febre do oropouche: conheça a segunda doença febril mais frequente no país

Ela é causada por um arbovírus, que é transmitido por picada de inseto, e perde apenas para a dengue em termos de número de infectados

por Encontro Digital 15/01/2016 08:57

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

CORREÇÃO:

Preencha todos os campos.
Wikimedia/Reprodução
A mosca Culicoides paraensis, conhecida como maruim, pode transmitir a febre oropouche, muito comum na Amazônia (foto: Wikimedia/Reprodução)
Apesar de pouco conhecido, o oropouche é um dos mais importantes arbovírus (vírus transmitidos por picadas de insetos) do Brasil. Conhecido desde o começo da década de 1960, ele causa a segunda doença febril mais frequente no país, perdendo apenas para a dengue em número de casos.

Segundo o Eurico Arruda, professor de Virologia da Faculdade de Medicina da USP de Ribeirão Preto, como os sintomas da febre do oropouche são semelhantes aos da dengue, muitas vezes os doentes são diagnosticados de forma errada. Ele alerta para a importância de se prestar mais atenção ao vírus neste momento, devido às síndromes febris que ele pode estar causando Brasil afora.

Além da febre alta, a doença causa calafrios, dor de cabeça muito forte, fotofobia e dor na região lombar. Os sintomas normalmente duram de quatro a cinco dias e depois passa. Uma característica específica desse vírus é que em um terço dos casos pode haver uma recaída e os sintomas podem durar mais cinco dias.

O principal transmissor da doença é uma pequena mosca chamada Culicoides paraensis, conhecida com maruim, mosquito-pólvora e borrachudo. Mas, de acordo com o Eurico, já foi comprovado que outros vetores podem transmitir o vírus, inclusive do gênero Aedes. Os maruins são normalmente encontrados em áreas ribeirinhas, mangues, regiões alagadas. De acordo com o Eurico, "a Amazônia é um celeiro de oropouches".

(com  Rádio Nacional da Amazônia e Portal EBC)

Últimas notícias

Comentários