Zika deve se alastrar por quase todas as Américas, diz OMS

Com exceção do Chile e do Canadá, países deverão sofrer com o vírus, que causa medo por ser associado à microcefalia em bebês

por Encontro Digital 26/01/2016 08:23

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

CORREÇÃO:

Preencha todos os campos.
Frederico Bussinger/Agência Minas/Divulgação
A inibição dos criadouros do mosquito Aedes aegypti é essencial na prevenção do zika vírus (foto: Frederico Bussinger/Agência Minas/Divulgação)
Todos os países do continente americano provavelmente terão a circulação interna do zika vírus, com exceção do Chile e Canadá. O alerta foi feito na segunda, dia 25 de janeiro, pela Organização Pan-Americana da Saúde (Opas), vinculada à Organização Mundial da Saúde (OMS), em nota sobre transmissão e prevenção do vírus que pode casuar microcefalia em crianças.

Desde maio do ano passado, 21 países das Américas registraram transmissão interna do vírus. A "rápida disseminação" do zika pelo continente, segundo a organização, se deve à presença do mosquito em todos os países, menos no Canadá e no Chile, e também ao fato de a população não ter imunidade ao vírus.

A transmissão do zika pelo mosquito Aedes aegypti é certa e bem conhecida. Porém, as informações sobre uma possivel transmissão por sêmen ainda são bem limitadas. O vírus já foi isolado no sêmen humano, mas ainda são necessárias investigações para saber se a tramissão sexual é possível.

Pelo sangue já foi confirmada a transmissão do vírus. Segundo a Opas, é uma forma pouco frequente e pode ser evitada na triagem do sangue para transfusão. A contaminação de mãe para filho na gravidez e na hora do parto são pontos em pesquisa, apesar de o Brasil já ter registrado seis bebês que nasceram com microcefalia e tiveram exame positivo para zika.

Sobre a transmissão pelo leite materno, a Opas informa que não há registros e que as mães, mesmo as infectadas pelo mosquito, podem continuar alimentando seus filhos exclusivamente com leite materno até os seis meses e depois conforme recomendações médicas.

Além do Brasil, Barbados, Bolívia, Colômbia, República Dominicana, Equador, El Salvador, Guiana Francesa, Guatemala, Guadalupe, Guiana, Haiti, Honduras, Martinica, México, Panamá, Paraguai, Porto Rico, San Martin, Suriname e Venezuela notificaram casos transmissão interna de zika.

(com Agência Brasil)

Últimas notícias

Comentários