Jair Bolsonaro leva 'chuva' de purpurina em Porto Alegre

Manifestantes jogaram o material colorido contra o deputado federal e o acusaram de fascista

por Encontro Digital 27/01/2016 18:38

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

CORREÇÃO:

Preencha todos os campos.
YouTube/Reprodução
Após jogarem purpurina sobre o deputado federal Jair Bolsonaro, os manifestantes o chamaram de fascista (foto: YouTube/Reprodução)
O deputado federal Jair Bolsonaro (PP-RJ) foi surpreendido por um "banho" de purpurina na Assembleia Legislativa do Rio Grande do Sul, em Porto Alegre, na terça-feira, dia 26 de janeiro, após a realização de uma palestra. Ele foi alvo de manifestação de ativistas do Levante Popular da Juventude que, na ocasião, ainda xingaram o parlamentar de "fascista" e "homofóbico". Segundo o movimento, a ação foi um ato simbólico de irreverência na semana de luta pela visibilidade trans.

Confira o vídeo do momento do "ataque" de purpurina:


"Contra o ódio, nós temos o brilho das lutadoras e dos lutadores do povo brasileiro (…) jogar purpurina é um ato simbólico, mostrando para Bolsonaro que o projeto de vida da juventude é maior que do que seu conservadorismo", explica o levante em nota à imprensa. O movimento,que classifica as ideias de Bolsonaro como "letais", lembra que o país é campeão em assassinatos de LGBTs. "Mostramos com muito brilho que a juventude não será expectadora do recrudescimento do fascismo e do autoritarismo em nosso país", acrescenta a nota.

O mesmo grupo havia já havia protagonizado outro ato simbólico, em novembro do ano passado, quando jogou dólares falsos sobre o presidente da Câmara, Eduardo Cunha (PMDB-RJ). O deputado foi denunciado pela Procuradoria Geral da República ao Supremo Tribunal Federal (STF) e enfrenta acusações relacionadas ao esquema de corrupção investigado pela Operação Lava Jato. "Com lutas e irreverência transformaremos a realidade brasileira por um projeto feminista, antirracista, colorido e popular para o Brasil", aponta o levante.

O deputado considera o protesto como uma ação de pessoas de esquerda. "É a forma que essas têm de protestar contra mim. Eles não aceitam o debate. Eles são intransigentes. Mas não me agrediram fisicamente. Podem continuar se manifestando assim", diz Bolsonaro após o incidente.

(com Portal EBC)

Últimas notícias

Comentários