Dietas restritivas podem virar transtorno alimentar, sabia?

Nutricionista chama a atenção especialmente do público mais jovem

por Encontro Digital 29/01/2016 16:38

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

CORREÇÃO:

Preencha todos os campos.
Pixabay
Segundo a nutricionista, dietas restritivas são perigosas porque podem resultar em agressões ao corpo, como a perda de gordura além do mínimo necessário (foto: Pixabay)
Quais os riscos que uma dieta restritiva pode oferecer para a saúde? Segundo a nutricionista Sophie Deram, especializada em obesidade infantil e transtornos alimentares, restringir a alimentação é uma forma de agredir o próprio corpo.

Ela conta que as dietas muito restritivas, em que as pessoas tiram carboidratos ou toda gordura e diminuem calorias, são muito perigosas. "Essas dietas mudam o centro do apetite. Depois que a pessoa volta a se alimentar normalmente, a fome aumenta, porque dentro do cérebro existe uma desregulação", diz Sophie, em entrevista à Rádio Nacional de Brasília.

"A dieta restritiva não necessariamente vai culminar em transtorno alimentar, mas, todo transtorno alimentar começa nas dietas restritivas. Isso é um alerta, em especial para os jovens", esclarece a especialista.

Ela chama a atenção para o público jovem, porque, normalmente, quem está nessa faixa etária não aceita as mudanças do corpo. "Infelizmente, estamos numa sociedade que demoniza a gordura", comenta.

Sophie Deram deixa claro que o excesso de gordura prejudica a saúde. No entanto, a mulher ganha gordura na adolescência, e possuir 20% de massa gorda é considerado normal. "Mas, vemos meninas nas academias se esforçando para ter menos de 20% [de gordura], e isso é assustador. O corpo feminino funciona melhor quando tem um pouquinho de gordura", esclarece a nutricionista.

(com Rádio Nacional de Brasília e Portal EBC)

Últimas notícias

Comentários