Entenda a Síndrome de Borderline, que afeta a ex-modelo Monique Evans

Esse problema psicológico leva a sérios transtornos de personalidade. Entenda!

por Vinícius Andrade 04/02/2016 10:30

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

CORREÇÃO:

Preencha todos os campos.
YouTube/Reprodução
Durante sua participação no programa da Xuxa, na Record, a ex-modelo Monique Evans revelou sofrer com a Síndrome de Borderline (foto: YouTube/Reprodução)
Oscilação de humor, medo e sensação de solidão. Sentimentos comuns, mas, quando combinados, podem resultar na Síndrome de Borderline, um problema psicológico que leva a pessoa a ter transtornos de personalidade. Quem sofre desse mal é a ex-modelo Monique Evans. Recentemente, ela revelou, no programa da Xuxa, na Rede Record, que chegou a pensar em se matar, quando estava com os sintomas da doença.

Monique fez um desabafo durante a entrevista na televisão. "Desde a adolescência eu sofro disso. Comecei a escrever poesias e eram coisas tristes, não de uma menina alegre. Comecei a bater com a cabeça na parede, não eram coisas normais. Durante toda a minha vida eu tive crises e até tentei me matar várias vezes", relata a ex-modelo.

Geralmente, quem sofre com a Síndrome de Borderline apresenta surtos psicóticos, manifestando comportamentos descontrolados. Esses sintomas começam a aparecer na adolescência e se tornam mais frequentes na vida adulta. Muitas vezes, a doença é confundida com esquizofrenia ou mesmo bipolaridade, mas, a duração e intensidade das emoções são diferentes. Por isso, é importante a avaliação de um especialista para se ter o diagnóstico correto.

Segundo a psicanalista Paula de Paula, professora da PUC Minas, existem vários sintomas que, separadamente, não vão configurar Borderline. Uma crise de autoestima, seja porque perdeu alguém, seja porque foi reprovado em um concurso, por exemplo, são sentimentos inerentes ao ser humano. Porém, se eles estiverem combinados a uma sensação extrema de solidão, pode configurar a síndrome.

"O mundo no qual vivemos é muito apropriado para nos fazer sentir dessa forma. Os sintomas da Borderline são coisas absolutamente humanas e muito próprias do nosso tempo", destaca a psicanalista.

Tratamento

O uso de medicamentos antidepressivos e calmantes é comum no tratamento da Síndrome de Borderline. Porém, além dos remédios, é necessário manter acompanhamento com psicólogo ou psiquiatra, como explica a professora Paula.  "A medicação é importante para que a pessoa não sofra sintomas físicos, durante o tratamento. Mas, o verdadeiro trabalho de cura é a análise, para que o paciente possa superar as causas responsáveis pelo problema", ressalta a especialista.

Últimas notícias

Comentários