Atletas americanos poderão desfalcar a Rio 2016 devido ao zika vírus

O comitê olímpico dos EUA teria recomendado às federações que os atletas estão livres para irem ou não aos Jogos Olímpicos

por João Paulo Martins 08/02/2016 10:02

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

CORREÇÃO:

Preencha todos os campos.
Paula Johas/PCRJ/Divulgação
(foto: Paula Johas/PCRJ/Divulgação)
Depois da polêmica envolvendo o atletismo da Rússia, devido à suspeita de doping, o que poderia tirar atletas russos das Olimpíadas do Rio de Janeiro de 2016, agora, a atenção se volta para os americanos. Mas, não se trata de nenhuma denúncia, e sim, uma suposta recomendação do Comitê Olímpico dos Estados Unidos para as federações esportivas do país para que aquelas que estiverem preocupadas com o surto de zika vírus no Brasil, liberem os atletas para desfalcarem os Jogos Olímpicos deste ano.

A conversa entre as autoridades olímpicas americanas e os representantes das modalidades esportivas teria ocorrido no final de janeiro, segundo informação dada por dois participantes da reunião à agência de notícias Reuters.

"As federações receberam a recomendação de que ninguém deveria ir ao Brasil se não se sentisse confortável com a ida", diz Donald Anthony, presidente da USA Fencing (federação de esgrima dos EUA), em entrevista à Reuters.

Como os Estados Unidos levaram grande parte das medalhas nas Olimpíadas de Londres em 2012, terminando a competição em primeiro ligar, com 46 ouros, 28 pratas e 29 bronzes, a ausência de americanos pode ser muito significativa nos jogos do Rio, que começam em agosto.

A Organização Mundial de Saúde declarou estado de emergência mundial devido ao zika vírus, no dia 1º de fevereiro. Com isso, o Centro de Controle e Prevenção de Doenças dos Estados Unidos (CDC, da sigla em inglês) está orientando as mulheres grávidas a evitarem viajar para regiões com surto da doença, como é o caso do Brasil, que ainda sofre com a microcefalia causada pelo zika.

Apesar da polêmica, Alan Ashley, presidente do comitê olímpico americano, não comentou a suposta reunião. Em nota enviada à Reuters, o porta-voz da entidade, Mark Jones informa que "os líderes das federações esportivas foram lembrados das recomendações do CDC e estamos certos de que os atletas e as autoridades afiliadas ao Team USA [Time EUA] estarão sempre atualizados sobre as notícias de saúde". Segundo ele, o comitê olímpico não passou informações além das que foram dadas pelko CDC.

(com The Huffington Post)

Últimas notícias

Comentários