Construção alienígena na Lua?

Teóricos da conspiração estão usando imagem da superfície lunar com suposta 'torre de comunicação' para comprovar a vida extraterrestre

por João Paulo Martins 12/02/2016 15:35

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

CORREÇÃO:

Preencha todos os campos.
Google Earth/Reprodução
Suposta estrutura em formato de cone (detalhe) seria a prova de 'vida extraterrestre' na Lua, segundo teóricos da conspiração (foto: Google Earth/Reprodução)
Como se não bastassem as inúmeras imagens de Marte que supostamente contêm objetos e seres inexplicáveis, mas que representam, na maioria das vezes, o fenômeno da pareidolia – quando o cérebro busca razão para formas aleatórias –, teóricos da conspiração insistem em identificar "atividade extraterrestre" na superfície da Lua. O site de notícias britânico Express divulgou no dia 1º de fevereiro uma imagem que representaria uma espécie de "torre de comunicação alienígena" construída no solo lunar.

A suposta estrutura, em formato de cone, teria cerca de 6,4 m de altura e foi "descoberta" graças ao programa Google Earth, que permite "sobrevoar" a superfície da Lua tal qual se faz com a Terra. Quando se observa a polêmica imagem, realmente existe uma ideia de três dimensões na área assinalada como sendo a "antena extraterrestre".

Mas, segundo o cientista espacial Noah Edward Petro, que trabalha na Nasa e participou do projeto de reconhecimento da órbita lunar, o que se vê, na verdade, é uma ilusão de ótica causada pelo ângulo so Sol sobre a cratera chamada de Mersenius E. "Não existe cone. O que vemos é uma pequena cratera formada ao lado da cratera maior, Mersenius E", diz Noah em entrevista ao site de notícias The Huffington Post.

Como explica o cientista, a imagem do Google Earth é antiga, provavelmente da década de 1990, e, assim, possui uma resolução mais baixa. Ele diz que se a compararmos com uma foto atual, com o Sol na altura do horizonte lunar, é possível ver a profundidade das crateras. "Nenhum cone lá, é uma ilusão de ótica", completa Noah Petro.
Nasa/GSFC/ASU/Reprodução
Nesta imagem é possível ver a comparação da cratera Mersenius E com o Sol a pino, na esquerda, e com ele no horizonte, à direita, o que desfaz a ilusão de ótica (foto: Nasa/GSFC/ASU/Reprodução)


(com The Huffington Post)

Últimas notícias

Comentários