Acabou a discussão: saiba quem ama mais o dono, o cão ou o gato

Pesquisador descobre o nível de atração do pet com o dono. Confira o resultado!

por João Paulo Martins 16/02/2016 18:26

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

CORREÇÃO:

Preencha todos os campos.
Pixabay
Adivinhe qual bichinho de estimação gosta mais do dono, o cão ou o gato? (foto: Pixabay)
Entre os apaixonados por animais de estimação, existe uma "eterna discussão" entre os que acreditam que os gatos são mais amigáveis, e os que afirmam que, por outro lado, os cães é que são os verdadeiros amigos dos humanos. Porém, essa "rixa" teve um fim. Um estudo feito pelo neurocientista Paul Zak, da Universidade de Graduação Claremont, na Califórnia (EUA), e que será exibido em forma de documentário pelo canal britânico BBC, encontrou a solução para essa "pendenga".

Os cachorros são, sim, mais apaixonados pelos donos do que os felinos. E o amor dos caninos é cinco vezes maior, segundo a pesquisa de Zak.

Para chegar a essa afirmação, o cientista americano analisou amostras de sangue de 10 cães e de 10 gatos, antes e após o contato com seus respectivos donos, para medir o nível de ocitocina. "Este é um hormônio neurotransmissor, que produzimos no cérebro quando nos preocupamos com alguém. É o que os mamíferos liberam quando criam vínculos na infância", explica Paul Zak, em entrevista ao portal americano de notícias The Huffington Post.

Como mostra o pesquisador, nós produzimos entre 15 e 25% de ocitocina quando temos um encontro agradável com uma pessoa estranha; liberamos entre 25 e 50% quando estamos namorando alguém; e produzimos mais de 50% quando realmente amamos outro humano, que pode ser o filho, o marido, a esposa, a mãe etc.

O estudo realizado com os pets mostrou que os cães, em média, liberaram 57,2% de ocitocina após o contato com os donos. "Então, seu cachorro realmente te ama, e muito. Mas, o que impressiona é eles produziram a ocitocina para outra espécie, e não para a própria. O fato disso ser entre espécies é mesmo fascinante. O cérebro está dizendo para que eles nos amem", diz Zak ao site americano.

Já os gatos, após a medição do nível de ocitocina, chegaram a apenas 12%, sendo que alguns nem produziram a substância. Porém, se você é apaixonado pelos felinos, não se preocupe. Segundo o pesquisador, eles são menos sociáveis e mais territorialistas do que os cães. Além disso, como o estudo foi realizado em laboratório, num ambiente considerado desconhecido, criou-se uma situação mais estressante para os gatos do que para os cachorros.

Questionado se, em casa, num ambiente mais amigável, os felinos teriam liberado mais ocitocina, Paul Zak concorda: "Acho que sim. Ao menos, mais gatos teriam produzido mais ocitocina".

(com The Huffington Post)

Últimas notícias

Comentários