Índia acaba de lançar o smartphone mais barato do mundo: R$ 14

Já imaginou um celular Android com quatro processadores custar menos que 4 dólares?

por João Paulo Martins 19/02/2016 12:06

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

CORREÇÃO:

Preencha todos os campos.
Ringingbells.co.in/Reprodução
A empresa indiana de tecnologia Ringing Bells acaba de lançar o smartphone mais barato do mundo, o Freedom 251, que custa menos de R$ 20 (foto: Ringingbells.co.in/Reprodução)
Enquanto no Brasil o celular mais barato, segundo o site de pesquisa de preço Buscapé, é modelo Alcatel OT 3000, que tem como "destaques" apenas a câmera VGA, a capacidade para três chips e o rádio, custa cerca de R$ 52, a Índia acaba de dar um passo além e lançar um smartphone por menos de US$ 4 ou aproximadamente R$ 14.

A empresa de telecomunicações indiana Ringing Bells acaba de apresentar ao mercado o modelo Freedom 251, que, como o nome indica, custa só 251 rúpias. A moeda da Índia está cotada a R$ 0,059. Portanto, o aparelho sai por menos de R$ 20. Mas, isso não seria notícia, se ele não fosse um smartphone de configuração razoável.

O aparelho é provido de uma tela de 4" qHD IPS, processador quadcore (quatro núcleos) de 1.3 GHz, 1 GB de memória RAM, duas câmeras (traseira de 3,2 MP com flash e frontal de 0,3 MP), memória interna de 8 GB (podendo ser expandida até 32 GB), capacidade para dois chips, sistema de dados 3G e Android 5.1 (Lollipop). A empresa diz que sua missão é produzir "aparelhos com tecnologia avançada, de alta qualidade, melhor serviço e com o menor custo de compra".

Para fins de comparação, o smartphone quadcore mais barato do Brasil, de acordo com o Buscapé, é o Blu Win, que custa cerca de R$ 565,16 (à vista), e não é de uma marca muito conhecida do grande público.

Assim que liberou as vendas do Freedom 251 pelo site, a Ringing Bells precisou interromper a operação devido ao excesso de tráfego. Segundo informação da empresa indiana, foram 600 mil cliques por segundo, sobrecarregando o servidor.

Últimas notícias

Comentários