Não é mentira: já existe jogo em que se tenta tirar selfie com o golfinho morto na Argentina

Parece piada de mau gosto, mas não é. O jogo online é um 'simulador' de selfie, baseado no incidente que levou à morte do animal indefeso

por João Paulo Martins 25/02/2016 10:18

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

CORREÇÃO:

Preencha todos os campos.
Newgrounds.com/Reprodução
Acha legal um jogo se aproveitar da morte de um golfinho filhote inocente, para ganhar audiência na internet? (foto: Newgrounds.com/Reprodução)
Em fevereiro, uma notícia deixou os internautas chocados: um golfinho filhote havia morrido na Argentina, no balneário de Santa Teresita, após passar horas fora da água, sendo usado por turistas e banhistas para feitura de selfies. Agora, pouco tempo depois desse terrível incidente, um jogo online está causando polêmica ao "simular" uma selfie com o animalzinho morto.

Desenvolvido pela empresa argentina Shitty Games, que é especializada em jogos online no estilo 8 bits, que não são politicamente corretos, o Eggo: The Selfin, mostra a praia cheia de frequentadores, e o usuário deve conseguir capturar uma imagem do golfinho morto, num certo espaço de tempo. Quanto mais "selfies" tirar, maior a pontuação.

Segundo a empresa, a intenção de criar um game sobre um caso tão revoltante é para chamar a atenção das pessoas sobre a morte de animais indefesos, que, como eles mesmos disseram à agência russa de noícias Sputnik, "ocorre o tempo todo no mundo".

Morto?

O vídeo do golfinho sendo "usado" por várias pessoas como "objeto" de selfie, revoltou os internautas nas redes sociais. Porém, logo depois da péssima repercussão adquirida pelas imagens, o banhista Hernán Coria, que fez a filmagem, em entrevista à rede de televisão argentina Telefe, chegou a declarar que o animal já estava morto, quando foi "usado" pelos turistas nas selfies.

"Eles queriam tocar e agarrar o golfinho. Tudo durou cinco minutos, e ele chegou morto na costa. Levaram o animal para o mar", diz Coria à emissora.

Últimas notícias

Comentários