Conheça o novo Bugatti Chiron, o carro mais rápido do mundo

Ele substitui o também surpreendente Veyron e vai custar nada menos que R$ 10,4 milhões

por João Paulo Martins 01/03/2016 10:30

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

CORREÇÃO:

Preencha todos os campos.
Caranddriver.com/Reprodução
O novo Chiron, da Bugatti, é de deixar qualquer amante de carros babando. Ele faz 420 km/h num motor que possui 1.500 cv (foto: Caranddriver.com/Reprodução)
Se você gosta de carros superpotentes, vai curtir a novidade apresentada no salão do automóvel de Genebra, na Suíça, em fevereiro deste ano. A Bugatti, marca que pertence ao grupo Volkswagen, está lançando o modelo Chiron, que vem para tomar o lugar do Veyron, lançado em 2005, e que se consolidará como o automóvel mais rápido do mundo.

O novo modelo é avaliado em US$ 2,6 milhões (ou R$ 10,4 milhões) e chega com o mesmo motor W16, de oito litros e quatro turbocompressores, mas que foi alterado para alcançar incríveis 1.500 cv e 6.700 rpm. O Chiron faz de 0 a 100 km/h em apenas 2,5 s, chegando aos 300 km/h em 13,6 s. A velocidade máxima do novo bólido da Bugatti é de 420 km/h – curiosamente, o velocímetro vai até estonteantes 500 km/h.

Para quem pretende "pilotar" essa supermáquina, ela é equipada com cinco modos de direção: lift, para velocidades mais baixas; EB, que é o modo automático; autobahn, para "correr" na estrada; handling, que favorece a dirigibilidade; e top speed, que oferece o máximo de "diversão" para os entusiastas por velocidade.

Ouça o ronco do incrível motor de 1.500 cv:


O Chiron faz bonito se comparado a supercarros como a Ferrari LaFerrari, o Porsche 918 Spyder e a Mclaren P1. Além de ser mais rápida, a nova máquina produzida na fábrica da montadora, em Molshei, na região francesa da Alsácia, possui o interior luxuoso e repleto de tecnologia. O painel digital é dividido em três partes: medidor de rotação, velocímetro e GPS. O acabamento interno é todo em fibra de carbono, couro (são 31 opções de cores e texturas para escolher) e alumínio. O som é um charme à parte. Os quatro tweeters são revestidos com uma membrana de diamante, de um quilate, que, segundo a empresa, deixa o som ainda mais puro.

Batizado com o nome do piloto francês Louis Chiron, que correu pela Bugatti entre os anos de 1920 e 1930, o novo veículo terá sua produção restrita a 500 unidades, sendo que 150 delas já foram reservadas em novembro de 2015.

"É parte da natureza humana cruzar fronteiras e fixar novos recordes. Isso também pode ser visto na Bugatti. O Chiron é o resultado do nosso esforço para tornar o melhor ainda melhor", diz Wolfgang Dürheimer, CEO da Bugatti, durante a apresentação do veículo na Suíça.

Últimas notícias

Comentários