Conhece as maquiagens K-Beauty?

Depois da música K-Pop, os produtos de beleza coreanos chegam ao Brasil

por Vinícius Andrade 03/03/2016 17:15

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

CORREÇÃO:

Preencha todos os campos.
Instagram/thaisfarage/Reprodução
A blogueira mineira Thais Farage conta que já aderiu às novas maquiagens, conhecidas como K-Beauty (foto: Instagram/thaisfarage/Reprodução)
Depois do estilo musical coreano K-Pop invadir o Brasil e virar febre entre os jovens, chegou a vez das maquiagens asiáticas ganharem espaço em nosso país. A tendência K-Beauty (korean beauty) está em alta e promete conquistar o público com maquiagens resistentes à umidade e que não deixam a pele oleosa, segundo a blogueira e consultora de estilo Thais Farage.

Não é à toa que a blogueira mineira decidiu usar apenas produtos de beleza coreanos. "Não tomo Sol e estava cansada de ficar com a pele brilhando ao longo do dia", justifica Thais. Os itens preferidos dela são as bases, máscaras para cílios, demaquilantes e filtros solares.

Quando se fala em maquiagem coreana logo aparecem os famosos BB Cream (beauty balm ou blemish balm) e CC Cream (color correcting cream). O primeiro é um produto multifuncional, ideal para clarear pequenas manchas, uniformizar o tom da pele, disfarçar linhas e poros. Já o segundo, foi desenvolvido para neutralizar possíveis imperfeições relacionadas ao tom de pele, como palidez e vermelhidão.

Camila Yu, diretora da Missha Brasil, empresa especializada em cosméticos coreanos, explica os motivos para o sucesso das maquiagens asiáticas: "Elas são práticas, você não precisa fazer muitos retoques. Ao mesmo tempo que elas têm função cosmética, também tratam a pele. São marcas que estão na vanguarda, inovando em termos de qualidade, competitividade e design na embalagem".

Os produtos orientais apresentam alguns ingredientes botânicos típicos da região, como flor de lótus, ginseng e flor de crisântemo. Segundo Camila Yu, o Brasil recebe as mercadorias originais da Ásia, mas existe uma mínima adaptação para ficar de acordo com as nossas leis.

Últimas notícias

Comentários