Bíblia polêmica de 1,5 mil anos encontrada na Turquia chama a atenção do Vaticano

O texto traz informações controversas sobre Jesus Cristo. Confira!

por João Paulo Martins 08/03/2016 11:10

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

CORREÇÃO:

Preencha todos os campos.
YouTube/Reprodução
A suposta Bíblia de 1,5 mil anos achada na Turquia traz revelações polêmicas sobre Jesus e o profeta Maomé (foto: YouTube/Reprodução)
No ano 2000, na Turquia, uma operação policial de combate ao contrabando de artefatos históricos levou à descoberta de uma relíquia curiosa e polêmica: uma Bíblia escrita em siríaco, um dialeto do aramaico, supostamente datada de 1,5 mil anos, teria sido escrita por São Barnabé, um dos apóstolos de Jesus. Ela vem causando bastante controvérsia, já que o conteúdo desse evangelho, que está avaliado em cerca de R$ 58,5 milhões, contraria muitos relatos do texto sagrado cristão, como, por exemplo, em relação à volta do messias, que não estaria relacionada a Cristo, e sim, ao profeta Maomé.

O polêmico livro é composto por couro natural e seus escritos foram feitos com tinta à base de ouro. Ele ficou guardado no depósito da polícia turca até 2010, quando foi encaminhado ao Museu Etnográfico de Ancara, capital do país. Essa "versão" da Bíblia está passando por uma restauração e, em breve, deve passar a fazer parte do acervo público.

A relíquia teria chamado a atenção também do Vaticano, segundo o jornal inglês Daily Mail, e o papa emérito Bento XVI estaria interessado em analisar a publicação milenar. Conforme o periódico, Ertugrul Gunay, ministro da Cultura e do Turismo da Turquia, afirma que o livro pode ser uma versão autêntica do evangelho de São Barnabé, e teria sido suprimido da Bílbia tradicional pela Igreja Católica, por apresentar uma influência islâmica nos ensinamentos de Jesus.

Em uma passagem desse texto antigo, Jesus teria dito a um pregador: "Como deverá ser chamado o messias? Maomé é seu nome sagrado". Ainda segundo o documento religioso, Cristo também negou ser o salvador da humanidade e teria dito que, na verdade, o messias seria de origem árabe.
YouTube/Reprodução
A relíquia turca, em couro, está escrita num dialeto do aramaico com tinta à base de ouro (foto: YouTube/Reprodução)


Claro que esse suposto evangelho recebeu inúmeras críticas, especialmente da comunidade cristã. Muitos acreditam que a publicação deve ter sido publicada no século XVI, e não há 1,5 mil anos. De acordo com o pastor protestante Ihsan Özbek, o conteúdo é muito improvável para ser considerado autêntico. Em entrevista ao jornal turco Today Zaman, ele lembra que São Barnabé viveu no século I, ao lado de Jesus e dos demais apóstolos, e que essa Bíblia, que se encontra em Ancara, na verdade, pode ter sido redigida por um de seus seguidores.

Últimas notícias

Comentários