Conheça melhor o Santo Daime, que teria 'causado' a morte do neto de Chico Anysio

O chá, também conhecido como ayahuasca, tem suas origens na tradição indígena

por Encontro Digital 16/03/2016 08:45

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

CORREÇÃO:

Preencha todos os campos.
Facebook/netonizo/Reprodução
Filho do humorista Chico Anysio, Nizo Neto, ao lado da mulher, Tatiana Presser, diz que a morte de Rian Brito teria sido "causada" pelo chá de Santo Daime (foto: Facebook/netonizo/Reprodução)
Chamado de Santo Daime ou "Vegetal", pelos adeptos, o famoso chá alucionágeno, também chamado de ayahuasca, pelos pesquisadores, voltou a ser notícia recentemente. Isso porque a família do músico Rian Brito, neto de Chico Anysio, alega que o rapaz morreu por causa do consumo dessa bebida.

O filho do saudoso humorista, Nizo Neto, fez um desabafo em um vídeo nas redes sociais sobre o uso da bebida alucinógena por Rian Brito, em que alega que os efeitos do ayahuasca, o chá de Santo Daime, teriam levado o jovem, de 25 anos, a desaparecer de casa e se isolar em uma praia, onde se afogou após longo jejum.

Confira, abaixo, o vídeo publicado originalmente no Facebook de Nizo Neto:


Afinal, o que é o ayahuasca?

Composto por uma mistura de plantas amazônicas, o ayahuasca ou o chá de Santo Daime é o elemento central de rituais xamânicos herdados da cultura indígena. O berço dessas doutrinas fica em Rio Branco (AC) e a bebida é usada há milhares de anos pelos pajés de várias tribos amazônicas do Brasil, do Peru e do Equador.

O ayahuasca é produzido a partir de duas plantas nativas da floresta amazônica: o cipó mariri ou jagube (Banisteriopsis caapi) e folhas do arbusto chacrona ou rainha (Psychotria viridis). Ele recebe também o nome quíchua, de origem inca, que significa "cipó dos espíritos" ou "vinho dos mortos", como referência a uma bebida sacramental.

Com gosto amargo, a cor da bebida varia entre ocre e marrom-escuro, e seus efeitos mais comuns são vômito e diarreia. O chá também provoca alucinações e "visões místicas". Mas, isso não impede que ela seja consumida regularmente por índios da Amazônia ou pelas seitas religiosas como o Santo Daime e a União do Vegetal.

Para os adeptos do polêmico chá, o encontro com o sagrado é chamado de "miração" ou "burracheira", para quem frequenta a União do Vegetal.
Quebarato.com.br/Reprodução
O Santo Daime, ou ayahuasca, é composto de cipó mariri e folhas do arbusto chacrona. Seu uso é muito comum em tribos indígenas da Amazônia (foto: Quebarato.com.br/Reprodução)


Liberação do uso da ayahuasca

No Brasil, o Conselho Nacional Antidrogas (Conad) retirou a ayahuasca da lista de drogas alucinógenas, conforme portaria publicada no Diário Oficial da União em 10 de novembro de 2004, permitindo o uso em rituais religiosos. Essa forma de consumo foi regulamentada no Brasil em 2010.

Mesmo tendo liberado o chá ayahuasca para fins religiosos, o Conad considera que o consumo do alucinógeno é arriscado. Na mesma resolução, existem regras como a proibição de que pessoas com histórico de transtornos mentais ou sob efeito de bebidas alcoólicas ou outras substâncias psicoativas consumam a droga. Além disso, é obrigatório que as seitas que usam ayahuasca "exerçam rigoroso controle sobre o sistema de ingresso de novos adeptos".

(com Portal EBC)

Últimas notícias

Comentários