Futuro Museu da Educação ficará na Praça da Liberdade

O espaço deve passar a fazer parte do circuito cultural existente na praça

por Rafael Campos 18/04/2016 15:19

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

CORREÇÃO:

Preencha todos os campos.
Roberto Rocha/Encontro
O Palacete Dantas e o Solar Narbona, duas construções históricas que chamam a atenção na Praça da Liberdade, devem virar o Museu da Educação (foto: Roberto Rocha/Encontro)
Os históricos edifícios Palacete Dantas e o Solar Narbona, que ficam na Praça da Liberdade, mas são, até então, incomunicáveis com o Circuito Cultural, vão abrigar o Museu da Educação.

O Instituto Estadual de Patrimônio Histórico e Artístico do estado (Iepha-MG) e a secretaria de estado de Educação estão definindo os últimos pontos da parceria para assinar o convênio.

A intenção é criar, além do museu, um centro de formação patrimonial. É uma boa notícia, já que, recentemente, a Oi desistiu de levar para os históricos edifícios, erguidos no início do século XX, o seu instituto. A previsão é de que o novo convênio seja fechado nos próximos meses.

Circuito Cultural Praça da Liberdade

Criado em 2010 pelo Iepha-MG, o Circuito Liberdade é composto por treze instituições, dentre museus e centros culturais, com opções para todas as idades e interesses.

Estes são os espaços que integram o circuito: Arquivo Público Mineiro, Biblioteca Pública Estadual Luiz de Bessa, Casa Fiat de Cultura, Centro Cultural Banco do Brasil, Centro de Arte Popular Cemig, Centro de Formação Artística (Cefar Liberdade), Espaço do Conhecimento UFMG, Horizonte Sebrae – Casa da Economia Criativa, Memorial Minas Gerais Vale, MM Gerdau – Museu das Minas e do Metal, Museu Mineiro, Palácio da Liberdade e BDMG Cultural.

Palacete Dantas e Solar Narbona

Projetado em 1915 pelo arquiteto italiano Luís Olivieri para receber a família Dantas, o palacete, em estilo eclético, chama a atenção pela fachada toda ornamentada. No interior do prédio histórico, destaque para a escadaria em ferro, que foi trazida da Bélgica, e os lustres, originários da Boêmia, na Alemanha. O piso também se destaca, por ser composto por diferentes espécies de madeira, como a braúna, a cabiúna e o jacarandá.

Em 1920, o Palacete Dantas chegou a receber um hóspede ilustre: o presidente do estado de Minas Gerais, Arthur Bernardes. Nesse ano, o Palácio da Liberdade deixou de ser momentaneamente a residência oficial do "governador", para abrigar os reis belgas que visitavam a capital mineira.

O Solar Narbona, por sua vez, foi construído pelo engenheiro Francisco Narbona para ser a residência de sua própria família. Não se tem confirmação da data da obra, mas acredita-se que seja do início do século passado.

Depois que deixou de ser uma residência, o solar, curiosamente, tornou-se sede da Escola de Odontologia da Universidade Federal de Minas Gerais.

Últimas notícias

Comentários