Descobertos três planetas que seriam potencialmente habitáveis

Eles estão a 'apenas' 40 anos-luz da Terra e orbitam uma estrela anã

por João Paulo Martins 03/05/2016 10:46

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

CORREÇÃO:

Preencha todos os campos.
ESO/M. Kornmesser/Divulgação
Representação artística mostra a visão da estrela anã vermelha a partir da superfície de um dos três planetas que a orbitam e que podem ter condição de sustentar vida (foto: ESO/M. Kornmesser/Divulgação)
Uma equipe internacional de cientistas do Observatório Europeu do Sul anunciou a descoberta de três planetas com dimensões e temperaturas semelhantes às da Terra. Eles estão a 40 anos-luz de distância e orbitam uma estrela anã superfria – muito menos quente que nosso Sol e um pouco maior que Júpiter. Os astros fazem parte da constelação de Aquário. O artigo com a incrível descoberta foi publicado na revista científica Nature, na segunda, dia 2 de maio.

"Esta é, realmente, uma mudança de paradigma no que tange às civilizações planetárias e à busca por vida no Universo. Até então, a existência de tais 'mundos vermelhos' orbitando uma estrela anã superfria era puramente teórica. Mas, agora, não temos apenas um planeta circundando uma estrela vermelha, e sim, um sistema completo de três planetas", diz o astrônomo Emmanuël Jehin, co-autor do artigo, em matéria publicada no site oficial do Observatório Europeu do Sul.

Após a descoberta, os cientistas querem, agora, estudar a possibilidade de existir sinais de vida nesse sistema planetário. Para isso, vão analisar a luz que chega à Terra a partir do efeito causado pelas órbitas dos planetas. Esse tipo de luz não é visível em telescópios comuns. "Graças aos telescópios gigantes que estão sendo construídos, como o James Webb Space Telescope, da Nasa, que será lançado em 2018, seremos capazes de estudar a composição da atmosfera desses planetas e explorá-los para saber se têm, primeiramente, água, e, então, traços de atividade biológica. É um passo imenso em direção à busca por vida no Universo", conclui Julien de Wit, da equipe responsável pelo achado, e que trabalha no Instituto de Tecnologia de Massachusetts (MIT, na sigla em inglês), nos Estados Unidos, em entrevista concedida ao site do observatório.

Segundo os cientistas europeus, os três planetas se encontram muito próximos da estrela anã. Essa distância chega a ser 20 ou 100 vezes menor do que a existente entre a Terra e o Sol. Ainda assim, os astrônomos explicam que dois desses planetas recebem uma radiação "pequena", ou seja, "apenas" duas ou quatro vezes maior que a recebida pela Terra. Isso porque o "Sol" deles é muito mais fraco que o nosso. Sendo assim, a posição que se encontram em relação á estrela os coloca na lista de astros que podem ter condição de sustentar a vida.
ESO/M. Kornmesser/Divulgação
(foto: ESO/M. Kornmesser/Divulgação)

Últimas notícias

Comentários