Andarilho encontra fóssil de 230 milhões de anos na Espanha

Trata-se de uma pegada pertencente a um arcossauro

por João Paulo Martins 03/05/2016 14:35

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

CORREÇÃO:

Preencha todos os campos.
ACN/Departament de Cultura/Divulgação
A pegada fossilizada de um arcossauro de 230 milhões de anos foi achada por um andarilho numa trilha na cidade de Olesa de Montserrat, na Catalunha (foto: ACN/Departament de Cultura/Divulgação)
Imagine caminhar tranquilamente por uma trilha e, de repente, tropeçar numa pedra que, na verdade, trata-se de um fóssil? Isso aconteceu na cidade de Olesa de Montserrat, na região autônoma da Catalunha, a 40 km ao norte de Barcelona. Na segunda, dia 2 de maio, as autoridades catalãs confirmaram que um andarilho teria descoberto acidentalmente a pegada fossilizada, pertencente a um animal reptiliano que seria um ancestral dos dinossauros, no dia 22 de abril deste ano.

O fóssil foi associado ao Isochirotherium, criatura que teria vivido na Terra durante a Era Mesozóica (Triássico Médio), há cerca de 230 milhões de anos. De acordo com a agência de notícias espanhola EFE, essa é a pegada mais bem preservada já encontrada na Península Ibérica.

Os arqueólogos espanhóis fizeram um molde da pegada, para ajudar nos estudos, que estão sendo realizados pelo departamento de Arqueologia Cultural e Paleontologia da Catalunha. O fóssil é tão bem preservado que é possível reconhecer marcas de garra e escama.

O Isochirotherium pertence a um grupo de animais chamados de arcossauros, que, basicamente, eram parecidos com crocodilos, andavam sobre quatro patas, mas tinham as costelas mais alongadas e assumiam uma posição mais ereta – como alguns dinossauros viriam a ter.

(com The Huffington Post)

Últimas notícias

Comentários