Fim do mistério: historiador revela quem é o 'Homem da Máscara de Ferro'

Representado duas vezes no cinema, finalmente é divulgada a identidade do mais famoso prisioneiro da Bastilha

por João Paulo Martins 09/05/2016 17:51

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

CORREÇÃO:

Preencha todos os campos.
MGM/Divulgação
Ao contrário do filme O Homem da Máscara de Ferro, de 1998, estrelado por Leonardo DiCaprio, o famoso prisioneiro da Bastilha não era irmão do rei Louis XIV, nem usava máscara de ferro (foto: MGM/Divulgação)
Após 350 anos, um dos mais famosos "mistérios" da França foi revelado. O recém-lançado livro The Search for the Man in the Iron Mask: A Historical Detective Story (Em Busca do Homem da Máscara de Ferro: Um Conto Histórico Investigativo, em tradução livre), de autoria do historiador Paul Sonnino, professor da Universidade da Califórnia, nos Estados Unidos, finalmente atribui uma identidade ao mais famoso prisioneiro francês, que já foi representado duas vezes no cinema (em 1939 e em 1998, neste último, estrelado por Leonardo DiCaprio).

Segundo Sonnino, o célebre "morador" da Bastilha, prisão que teve grande importância durante a Revolução Francesa, teria sido preso em 1669 e ficou encarcerado por 30 anos, tendo falecido em 1703. Ao contrário do que foi exposto nos filmes e que se baseava nas teorias do escritor Alexandre Dumas e do filósofo Voltaire, o "Homem da Máscara de Ferro" não era o irmão gêmeo do rei Louis XIV e nem usava uma máscara de ferro.

Na verdade, o famoso prisioneiro da Bastilha se chamava Eustache Dauger. "Os historiadores sempre concordaram que esse era o nome do prisioneiro e que ele, ocasionalmente, usava uma máscara de veludo, e não de ferro. Além disso, era sabido que ele trabalhava como criado pessoal. Mas, até agora, não se sabia de quem ele era criado e por qual motivo teria ficado preso por 30 anos", diz Paul Sonnino, em entrevista ao portal Live Science.

Após analisar documentos históricos, correspondências direcionadas ao prisioneiro e outros apectos da sociedade francesa do século XVII, o professor da Universidade da Califórnia descobriu que Eustache Dauger era criado particular do cardeal Mazarin, tesoureiro e principal ministro da França durante o governo de Louis XIV. Segundo o historiador, Mazarin acumulou uma riqueza exorbitante durante sua vida, e o criado teria descoberto que grande parte desse dinheiro era fruto de roubo.

"Fui capaz de determinar que Mazarin robou parte de sua riqueza de antigos reis da Inglaterra. Dauger deve ter descoberto e, infelizmente, denunciado no momento errado. Quando foi preso, disseram para ele que não poderia revelar sua identidade para ninguém, sob a ameaça de ser morto imediatamente", revela Sonnino ao Live Science. Por isso, era necessário o uso da máscara de veludo quando ele se reunia com alguém de fora da prisão.

Últimas notícias

Comentários