Cientistas descobrem 'super-humanos' de verdade

Na verdade, essas pessoas conseguiram resistir a mutações genéticas graves

por João Paulo Martins 24/05/2016 16:16

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

CORREÇÃO:

Preencha todos os campos.
Pixabay
Cientistas americanos descobriram um grupo de "super-humanos" que foram capazes de resistir a mutações genéticas graves (foto: Pixabay)
Cientistas americanos descobriram um grupo das pessoas consideradas absolutamente saudáveis, mas que possuem um desvio genético muito perigoso. Segundo os especialistas do Centro Médico Mount Sinai, em Nova Iorque, nos Estados Unidos, o estudo dos genomas de 500 mil de pessoas levou à descoberta de um grupo de indivíduos que são resistentes às mutações genéticas. Ou seja, eles conseguiram resistir à força mais básica da natureza humana: o DNA.

A pesquisa, publicada na revista científica Nature Biotechnology em abril deste ano, tinha como intenção a identificação das causas de 584 desvios genéticos conhecidos. Em cada participante do experimento, foram verificados nada menos que 874 genes com índice de mutação chegando a 100%. Porém, 13 homens analisados, que possuíam um genoma mutante e que inevitavelmente levaria à morte ou à doença, não apresentavam qualquer problema, e eram perfeitamente saudáveis. Antes deste estudo, esse tipo de situação era considerada impossível.

Por enquanto, os especialistas americanos não sabem dizer exatamente a razão por trás dessa capacidade exclusiva de alguns indivíduos de resistirem às mutações genéticas – é como se fossem "super-humanos". Como explicam os cientistas, geralmente, só as pessoas com sintomas de doenças hereditárias costumam fazer testes genéticos, e assim, as mutações "adormecidas" não costumam ser verificadas.

Os cientistas esperam que um nova pesquisa sobre esse "fenômeno" ajude a encontrar um meio eficaz para a ciência lidar com as doenças genéticas.

(com Agência Sputnik)

Últimas notícias

Comentários